Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.585,50
    +1.479,65 (+4,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    -0,0485 (-0,75%)
     

Jin faz 28 anos após 3 dias da 'lei BTS', que adia alistamento de astros de renome global

Louise Queiroga
·4 minuto de leitura

O integrante mais velho do BTS, Kim Seokjin, mais conhecido como Jin, completa 28 anos neste 4 de dezembro e lançou a música "Abyss" para marcar a data. Há apenas três dias, o artista viu ser aprovada pela Assembleia Nacional da Coreia do Sul uma alteração na Lei do Serviço Militar. A norma, apelidada de "lei BTS" na web, permite o adiamento do alistamento nas forças armadas até 30 anos para astros do K-pop que elevem a reputação do país.

Pela legislação antiga, o cantor deveria arcar com sua responsabilidade militar por um período aproximado de dois anos a partir dos 28 anos, idade máxima determinada a todos os homens sul-coreanos.

No lançamento do novo álbum, "BE", Jin disse que todos os membros do BTS pretendem servir às forças armadas quando fossem necessários. Em entrevista do final de 2019, já havia afirmardo que enxerga o alismentamento com naturalidade.

"Como um jovem coreano, o compromisso com o serviço militar é algo natural e nós estamos prontos para cumprir com a obrigação assim que o nosso país nos chamar. Na verdade, nós falamos sobre isso bastante entre nós. Todos nós planejamos cumprir o serviço militar obrigatório", destacou.

O BTS entra na nova exceção por ter, segundo o governo, ajudado a elevar a reputação do país a nível global. Segundo a agência de notícias "Yonhap News", a revisão foi proposta em setembro, depois que o BTS se tornou o primeiro ato pop sul-coreano a liderar a parada de singles da Billboard Hot 100 dos EUA com sua canção "Dynamite", sua primeira música totalmente em inglês. A mesma conquista ocorreu nesta segunda-feira, 30, marcando a primeira canção em coreano no topo do gráfico, "Life goes on" — faixa-título de "BE" que aborda emoções do septeto durante a pandemia da Covid-19.

Sob a nova promulgação a ser complementada por um decreto presidencial, estrelas pop condecoradas podem adiar seus alistamentos até os 30 anos de idade, por recomendação do ministro da Cultura como contribuintes significativos para a elevação da reputação nacional.

Antes da revisão, as isenções ou adiamentos do serviço militar eram concedidos apenas a atletas premiados internacionais, que venceram medalhas olímpicas ou um ouro nos Jogos Asiáticos, entre eles Son Heung-min, atacante do Tottenham Hotspur, e músicos clássicos.

A emenda na Lei do Serviço Militar foi concebida para proporcionar exceções para mega-astros de K-pop que melhoram o status cultural do país e fortalecem a economia.

A legislação determina que todos os homens sul-coreanos fisicamente aptos com mais de 18 anos precisam servir nas Forças Armadas por cerca de dois anos, como parte dos esforços do país para se resguardar contra a Coreia do Norte, bem como prestar serviços públicos à população.

É permitido que estudantes habilitados adiem o serviço até os 28 anos.

"Artistas pop tendem a conseguir suas maiores conquistas em torno dos 20 anos, mas muitos deles tiveram que buscar uma graduação para adiar o serviço", disse Jeon Yong-gi, coautor do projeto de lei.

Quando os ponteiros do relógio pelo horário de Brasília marcavam meio-dia desta quinta-feira, 3, na Coreia do Sul começava a sexta-feira, dia 4, e armys, como são chamados os fãs do BTS, celebravam o aniversário dele com hashtags nas redes sociais. Enquanto isso, tinham à disposição no YouTube e no Soundcoud a música "Abyss", preparada pelo artista para marcar a data especial.

"É algo em que trabalhei muito", contou Jin, num post no Twitter às 22h (no horário de Seul).

Ele trabalhou na produção da canção junto com Bumzu, RM (também membro do BTS) e Pdogg, além de ter co-escrito a letra com Kye Beom Ju.

RM participou ainda dos versos para o refrão e parabenizou o amigo com um post no Twitter: "Jin hyung (termo usado para amigo/irmão mais velho), feliz aniversário. Parabéns pela liberação de 'Abyss'. Foi uma honra adicionar um pequeno pedaço a ele. Vamos ser felizes!".

Apelidado de Worldwide Handsome (lindo global, em tradução livre), Jin publicou uma carta explicando a mensagem do trabalho novo, dizendo que ela originou-se nos sentimentos diante do sucesso do BTS e dos questionamentos provocados por consequência.

"Na verdade, estive muito exausto recentemente, mas acho que foi por ter pensado muito em mim mesmo. Fiquei em primeiro lugar na Billboard Hot 100 e recebi elogios de muitas pessoas. Então eu me perguntei, eu realmente mereço isso? Na verdade, outros amam música mais e a fazem melhor do que eu. É normal receber tanta alegria e parabéns? Ao pensar nisso, meu coração começou a bater mais forte e eu queria largar tudo".

A partir de uma conversa com Bang Si-hyuk, CEO da agência BigHit Entertainment, foi aconselhado a expressar o que sentia através da música.

"(Eu respondi) E se eu não tiver confiança para fazer bem e o resultado não for bom? Disse ao Bang PD que havíamos chegado a um ponto em que eles não podiam se dar ao luxo de falhar. Ele respondeu que isso não é importante, mas que se eu fosse tentar, definitivamente me sairia bem e que ele encontraria alguém que se encaixasse bem para mim (para trabalhar na música)", acrescentou.