Mercado abrirá em 5 h 34 min
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,96
    +0,60 (+0,83%)
     
  • OURO

    1.786,30
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    49.836,33
    -856,38 (-1,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.304,91
    -0,21 (-0,02%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    24.231,84
    +234,97 (+0,98%)
     
  • NIKKEI

    28.725,47
    -135,15 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    16.368,75
    -23,50 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2743
    +0,0002 (+0,00%)
     

Jessica Alba, Ryan Reynolds e o clã Kardashian: quem são os grandes artistas que estão fazendo história com DNVBs pelo mundo?

·5 min de leitura

Não é de agora que você já deve ter ouvido falar sobre celebridades, atletas e influenciadores que estão fazendo história ao criar suas próprias marcas de consumo. Inclusive, você deve ter acompanhando meus últimos artigos e observado que esta é uma tendência que está crescendo e ficará cada vez mais forte nos próximos meses/anos. Para se ter uma ideia, o Hollywood Reporter lançou recentemente a lista com os 10 maiores empreendedores de 2021 e, entre os nomes, se destacam grandes estrelas como Ryan Reynolds, Drew Barrymore, Sofia Vergara, Kristen Bell, Jennifer Garner e muitos outros.

Estimuladas por fatores como disponibilidade de capital e uma crescente comunidade de seguidores ávidos por adquirir produtos de pessoas que realmente admiram, essas celebridades encontraram a oportunidade exata para ter sucesso nos negócios, principalmente dentro do ambiente digital. É aqui que conecto vocês com o que já tenho falado sobre DNVBs, essas empresas que têm como principal premissa uma obsessão pelo foco no cliente estão explodindo por meio da conexão genuína com seus públicos de interesse, tudo isso atrelado à grandes nomes do mercado do entretenimento, do esporte, etc.

“Para que uma empresa tenha sucesso ela deve, necessariamente, buscar cada vez mais formas de se conectar verdadeiramente com o seu consumidor.”

Um dos cases mais emblemáticos é o da atriz, cantora, e agora empreendedora, Rihanna, que se tornou oficialmente bilionária. A fortuna da conhecida intérprete de Umbrella está avaliada em US$ 1,7 bilhão, mas grande parte do valor — cerca de US$ 1,4 bilhão — é fruto da sua marca de cosméticos, a Fenty Beauty, da qual detém 50% em uma parceria com o conglomerado francês de bens de luxo LVMH. Outra parte do valor — US$ 270 milhões — provém da marca de lingerie da Savage x Fenty e o restante é por conta de sua carreira como cantora e atriz.

O intuito da artista com esse negócio sempre foi promover a “beleza para todas”, assim como diversas empresas se propõe a fazer, mas o grande diferencial aqui é que isso não ficou só no papel, como costuma acontecer. Quando foi lançada, em 2017, na Fenty Beauty haviam 40 tipos de tons diferentes de base, hoje já são 50 e isso é um exemplo bem claro de como é importante ouvir o consumidor. A empresa movimenta uma comunidade onde há um grande esforço em manter o diálogo com essas mulheres-clientes, para entender as suas dores e necessidades.

E, aqui, chegamos a um ponto fundamental: a empresa deu certo não só pelo alcance inacreditável que a artista tem, mas principalmente porque ela entende quem é o seu público e o que ele espera, em tempo real, mês após mês. Outro caso impressionante que acompanhamos é o do lutador de MMA, Conor McGregor. Em 2018, ele lançou o ‘Whisky Proper Nº Twelve’ pela Eire Born Spirits, empresa fundada pelo lutador e seu empresário e, em abril deste ano, ele vendeu a sua marca por 130 milhões de euros para a empresa mexicana de tequila, a Becle, dona da Jose Cuervo. Desde que criou o Whisky, McGregor nunca parou de promover a sua marca onde quer que ele fosse.

Um ponto fundamental que une esses dois cases de sucesso é a questão da autenticidade e a identificação. Assim, como no caso do atleta LeBron James. Recentemente, o jogador de basquete conseguiu entrar no Jogo 5 entre Bucks e Suns com uma garrafa de tequila, “Lobos 1707” — marca na qual investe desde o ano passado — e disparou o interesse na marca.

A Honest Co. de Jessica Alba agora está avaliada em mais de US$ 1 bilhão depois de abrir o capital no início deste ano. E o rolo compressor de vendas que é o clã Kardashian que continua a ganhar cada vez mais mercados, tendo Kim Kardashian West como fundadora da linha de shapewear de enorme sucesso Skims, e Kendall Jenner com a tequila 818, que esgotou logo após seu lançamento este ano.

Esses são apenas alguns exemplos de negócios de sucesso que estão ganhando mercado pelo mundo. Há ainda as marcas criadas por celebridades e que depois são vendidas por milhões para grandes grupos experientes de mercado. Como a marca de tequila, cofundada por George Clooney, que foi comprada pela Diageo em um negócio de US$ 1 bilhão em 2017.

“É uma tendência que veio para ficar e que têm os consumidores das gerações Y e Z como grandes aliadas, já que o foco dessas pessoas está em ter “menos lealdade” às marcas tradicionais e buscar empresas que de fato queiram se conectar com elas e entender suas dores/necessidades.”

O fato é que o segredo dos negócios do futuro está mais do que escancarado e bem na nossa frente é: para que uma empresa tenha sucesso ela deve, necessariamente, buscar cada vez mais formas de se conectar verdadeiramente com o seu consumidor. E unir o esforço de entender o seu público seja por meio das redes sociais ou comunidades, e somar isso às celebridades, de forma autêntica e criativa, pode agregar ainda mais valor à marca. E, claro que, assim como qualquer outra estratégia, esse propósito de autenticidade não pode ser seguido ou feito apenas “por fazer”.

Você deve estar pensando que os nichos de beleza e bebida são os principais mercados para esses negócios, sejam eles digitais ou não. Mas, te digo com certeza que você está enganado. Há um espaço de crescimento nessas áreas evidentemente, no entanto, há caminhos que ainda não foram desbravados por essas celebridades e que representam um enorme potencial. Imagino que nos próximos anos veremos negócios surgindo com foco em saúde, bem-estar, crianças, alimentação e muito mais. Acredite, o segmento de marcas criadas por celebridades não mostra sinais de parar e não vai. É uma tendência que veio para ficar e que têm os consumidores das gerações Y e Z como grandes aliadas, já que o foco dessas pessoas está em ter “menos lealdade” às marcas tradicionais e buscar empresas que de fato queiram se conectar com elas e entender suas dores/necessidades.

Com base em tudo isso, quero deixar aqui uma provocação: quais são as estrelas e astros que devemos ver nos próximos meses e anos construindo suas marcas bilionárias? Quem serão as Rihannas, Jessicas Albas e Ryans Reynolds que veremos ganhar mercado aqui no Brasil? E quais produtos elas e eles lançarão?

O post Jessica Alba, Ryan Reynolds e o clã Kardashian: quem são os grandes artistas que estão fazendo história com DNVBs pelo mundo? apareceu primeiro em Fast Company Brasil | O Futuro dos Negócios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos