Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,15
    +1,40 (+2,34%)
     
  • OURO

    1.711,60
    -22,00 (-1,27%)
     
  • BTC-USD

    51.051,37
    +3.676,61 (+7,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.020,73
    +32,64 (+3,30%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.669,25
    -386,00 (-2,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7787
    -0,0834 (-1,22%)
     

JBS, Tyson enfrentam investigação nos EUA por cuidados com Covid

Laura Davison
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Um painel da Câmara dos EUA liderado pelos democratas está lançando uma investigação sobre surtos de coronavírus em frigoríficos e se a Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA, da sigla em inglês) aplicou adequadamente as regras de segurança do trabalhador.

O democrata James Clyburn, que preside o Subcomitê da Câmara para a Crise do Coronavírus, enviou cartas nesta segunda-feira para Tyson Foods Inc., Smithfield Foods Inc., e JBS USA para solicitar informações sobre o número de funcionários doentes, fechamentos de instalações, medidas de segurança e políticas de licenças para quando os resultados dos trabalhadores fossem positivos.

Quase 54.000 trabalhadores em 569 frigoríficos no Estados Unidos testaram positivo para Covid-19 e pelo menos 270 morreram, disse Clyburn na carta.

Os frigoríficos “se recusaram a tomar precauções básicas para proteger seus trabalhadores, muitos dos quais ganham salários extremamente baixos e não têm férias remuneradas adequadas, e mostraram um desrespeito implacável pela saúde dos trabalhadores”, afirmam as cartas às empresas.

Keira Lombardo, diretor administrativo da Smithfield disse em um comunicado que a empresa tomou “medidas extraordinárias” para proteger os funcionários que excederam as diretrizes governamentais e que espera corrigir “imprecisões” sobre a disseminação do vírus nos frigoríficos.

A JBS investiu em medidas de segurança e modificações nas instalações e agradece a oportunidade de compartilhar sua resposta à pandemia global e esforços para proteger sua força de trabalho, de acordo com comunicado da empresa.

A Tyson e a OSHA não responderam imediatamente aos pedidos de comentários. A OSHA divulgou na sexta-feira novas diretrizes de segurança no local de trabalho para fortalecer a proteção contra o vírus.

A propagação do vírus fez dos frigoríficos os primeiros focos de disseminação da pandemia nos Estados Unidos, forçando o fechamento temporário das instalações. As empresas do setor gastaram centenas de milhões para instalar divisórias nas estações de trabalho, estações de desinfecção, scanners de temperatura e adição de pessoal médico.

O setor gastou mais de US$ 1,5 bilhão em “proteções abrangentes instituídas desde a primavera”, de acordo com Sarah Little, porta-voz do Instituto Norte-Americano de Carnes.

As penas baixas atraíram críticas dos democratas, incluindo senadores Elizabeth Warren de Massachusetts e Cory Booker de Nova Jersey. Os legisladores apontaram a indústria, um dos primeiros epicentros do coronavírus, como um exemplo de como as empresas falharam em proteger funcionários mal pagos da linha de frente.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.