Mercado fechará em 3 h 31 min
  • BOVESPA

    115.801,92
    -662,14 (-0,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.114,26
    -939,30 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,28
    -0,33 (-0,63%)
     
  • OURO

    1.843,50
    -7,40 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    29.827,91
    -1.783,51 (-5,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    601,53
    -38,38 (-6,00%)
     
  • S&P500

    3.806,69
    -42,93 (-1,12%)
     
  • DOW JONES

    30.598,50
    -338,54 (-1,09%)
     
  • FTSE

    6.541,43
    -112,58 (-1,69%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.332,00
    -153,50 (-1,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4853
    -0,0255 (-0,39%)
     

JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19

·1 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - A JBS recebeu aprovação judicial para reabrir sua unidade de processamento de aves em Passo Fundo (RS), após um surto de coronavírus entre funcionários da empresa, informou a companhia à Reuters nesta sexta-feira.

"A JBS confirma a retomada das atividades em Passo Fundo", disse a empresa por meio da assessoria de imprensa.

Leia também

Segundo documento do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), ao qual a Reuters teve acesso, a desembargadora Vania Maria Cunha Mattos entendeu que a paralisação da empresa até o julgamento do recurso - mantida a interdição -, "poderá inviabilizar" atividades econômicas.

"(Seria) rompida toda a cadeia produtiva, com prejuízo inequívoco não só dos empregos - diretos e indiretos, como a arrecadação de impostos, afora, desabastecer a população em geral", disse a decisão.

A desembargadora frisou que a JBS deve manter todas as regras de higiene e segurança do trabalho que garantam a vida e a integridade dos empregados e da população em geral, e que o trabalho deve ser feito somente por funcionários assintomáticos para que não se haja risco de propagação da Covid-19.

(Por Ana Mano e Nayara Figueiredo)