Mercado fechará em 6 h 29 min
  • BOVESPA

    113.056,07
    -738,21 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,70
    -0,91 (-1,25%)
     
  • OURO

    1.752,30
    -4,40 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    47.250,33
    -767,71 (-1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.203,54
    -29,75 (-2,41%)
     
  • S&P500

    4.466,35
    -7,40 (-0,17%)
     
  • DOW JONES

    34.715,60
    -35,72 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.033,82
    +6,34 (+0,09%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.507,50
    -10,25 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2446
    +0,0598 (+0,97%)
     

Jato hipersônico dos EUA fará Nova Iorque-Londres em menos de 1 hora

·2 minuto de leitura

A aviação supersônica se tornará realidade novamente e algumas empresas já estão trabalhando em aviões que vão superar a barreira do som, como a Boom Supersonics, a Virgin Atlantic e a Lockheed/NASA. Mas existe espaço no mercado para aeronaves que podem ir além, as chamadas hipersônicas. Ao observar isso, a Hermeus anunciou o desenvolvimento do Quarterhorse, seu jato que será capaz de ir de Nova Iorque à Londres em menos de uma hora.

Segundo a Hermeus, que tem sede em Atlanta/EUA, o Quarterhorse será equipado com apenas um motor da General Electric de ciclo combinado, que lhe proporcionará esse desempenho assombroso. Esse sistema de propulsão usa um motor a jato padrão para lançamento e pouso e, para trazer velocidade suficiente em voo para alimentar uma segunda turbina — conhecida como ramjet ou scramjet —, é necessário mais fluxo de ar de alta velocidade.

Ao observar o material e a arte do protótipo, fica claro que, em um primeiro momento, a aeronave terá apelo militar. Os estudos da empresa confirmam que sua velocidade será de Mach 5,5, ou 6789,8 km/h — além dos 7.400 km de autonomia—, portanto, será necessário avançar no desenvolvimento de um produto que, no futuro, possa ser rentável, já que, na aviação, cada dólar conta para os projetos.

O projeto está em andamento há nove meses e recebeu aporte de US$ 60 milhões da Força Aérea dos Estados Unidos. De início, apenas os motores foram testados e com sucesso, mas a expectativa da Hermeus é de que, em 2023, a primeira aeronave, que será de porte pequeno, possa decolar pela primeira vez. O plano, porém, é de ter um avião comercial para passageiros em 2030.

(Divulgação/Hermeus)
(Divulgação/Hermeus)

É sempre bom lembrar que o último avião comercial que trabalhava acima da velocidade do som era o anglo-francês Concorde, aposentado desde 2003.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos