Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.183,47
    -562,54 (-1,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Japão suspende o uso de novos lotes de vacinas anticovid da Moderna

·2 minuto de leitura
Japonês recebe vacina da Moderna contra a covid-19 em Tóquio, em 21 de junho de 2021 (AFP/Behrouz MEHRI)

Duas regiões japonesas suspenderam neste neste domingo (29) o uso da vacina anticovid do laboratório Moderna após a detecção de novos lotes contaminados do fármaco.

A decisão foi anunciada um dia depois de o ministério da Saúde do Japão revelar que investiga as mortes de dois homens que foram vacinados com o imunizante da Moderna procedente do lote de 1,63 milhão de doses que continham impurezas em alguns frascos.

A prefeitura de Okinawa, sul do Japão, decidiu neste domingo "suspender o uso das vacinas da Moderna porque foram detectadas substâncias estranha em alguns lotes", afirma um comunicado.

A prefeitura de Gunma, norte do país, também anunciou a suspensão do uso dos lotes contaminados, mas informou à AFP que continua utilizado as vacinas da Moderna de lotes em bom estado.

Os lotes afetados pelas impurezas, detectados no sábado em Okinawa, são diferentes dos que já haviam sido suspensos, de acordo com a imprensa local.

No sábado, o ministério a Saúde informou o falecimento, no início de agosto, de dois homens, de 30 e 38 anos, que receberam a segunda dose da vacina da Moderna procedente de um dos três lotes bloqueados em 26 de agosto pelo governo.

Uma investigação foi aberta para determinar a causa das mortes, mas as autoridades destacaram que até o momento não se sabe se existe uma relação causal com a vacina.

"No momento, não temos nenhuma evidência de que essas mortes foram causadas pela vacina da Moderna, e é importante conduzir uma investigação formal para determinar se há alguma relação", afirmaram no sábado em um comunicado conjunto a farmacêutica Moderna e o laboratório japonês Takeda, que importa e distribui a vacina no país.

A natureza das partículas encontradas nos frascos, que foram fabricados na Europa pela empresa espanhola ROVI, terceirizada pela Moderna, ainda não foi revelada.

O ministério espanhol da Saúde afirmou na quinta-feira que os únicos lotes desta vacina produzidos na Espanha que continham impurezas são os que Japão retirou das clínicas de imunização.

"Tanto as autoridades japonesas como as espanholas estão avaliando o risco da presença das partículas e, com base nas análises, tomarão as medidas necessárias", afirmou o ministério.

As autoridades de saúde espanholas afirmaram ainda que a empresa ROVI "está trabalhando na investigação das causas dos problemas de qualidade", com a supervisão da Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Sanitários (AEMPS).

kh/qan/es/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos