Mercado fechado

Janaína Rueda é eleita ícone da América Latina pelo 50 Best por atuação em merendas e no setor de restaurantes

MARÍLIA MIRAGAIA
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 26-05-2020 - Retrato da chef Janaina Rueda. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 26-05-2020 - Retrato da chef Janaina Rueda. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A chef Janaína Rueda, do Bar da Dona Onça e d’A Casa do Porco, no centro de São Paulo, foi eleita ícone da América Latina em 2020 em um prêmio concedido pelo Latin America’s 50 Best Restaurants, lista anual que elenca os melhores restaurantes desta região.

A Casa do Porco ocupa o 6º lugar na lista dos 50 melhores da América Latina e 39º na lista global que o prêmio também organiza. Considerado o "Oscar da gastronomia", em 2020 sua organização voltou esforços para apoiar a recuperação de um setor profundamente abalado pelos meses de fechamento e pela crise econômica que se seguiu.

Chamada American Express Icon Award, a categoria vencida por Janaina destaca a mobilização da chef para organizar demandas do setor de restaurantes durante a pandemia e sua atuação voluntária, entre 2015 e 2019, em um projeto para a melhoria da merenda de escolas estaduais —em que produtos processados foram substituídos por alimentos frescos. O projeto Cozinheiros pela Educação contemplou mais de 1.800 instituições da capital, mas foi descontinuado pelo governo.

"A organização do prêmio já vinha se transformando para dar mais espaço a coisas acessíveis. E, neste ano, ele se reinventou com a pandemia para ajudar as pessoas. O coronavírus nos mostrou que o luxo é justamente esse: cuidar do seu entorno", diz Janaína Rueda.

Com divulgação marcada para dia 3 de dezembro, o ranking Latin America’s 50 Best Restaurants, que costuma reunir chefs famosos de diferentes países em uma festa, deve ter cerimônia online em um ano que teve profundas marcas para o setor de hospitalidade.

Em março, a organização do 50 Best cancelou a cerimônia que elege os 50 melhores restaurantes no mundo todo, que iria acontecer na Antuérpia, Bélgica —além de prêmios regionais (como América Latina e Ásia), o ranking tem também sua versão global. A votação do ranking é formulada a partir de um júri composto por mais de 250 jornalistas, foodies, chefs e restaurateurs da América Latina, com a mesma proporção de mulheres e homens.

A programação foi reformatada na campanha “50 Best for Recovery”, leilão em apoio a bares e restaurantes que beneficiou casas como o restaurante Origem, em Salvador, Bahia, que recebeu U$ 5.0000 (R$ 27.940).