Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,63
    +0,13 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.771,70
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    23.360,19
    -0,13 (-0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,74
    +1,01 (+0,18%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.526,00
    +2,75 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2349
    -0,0243 (-0,46%)
     

James Webb encontra as galáxias mais antigas que já vimos no universo

O telescópio espacial James Webb nem completou duas semanas de operação e já está fazendo história. Pesquisadores do Harvard and Smithsonian Centre of Astrophysics, em Massachusetts, nos EUA, anunciaram a descoberta de duas galáxias que podem ser as mais antigas que já vimos no universo.

A primeira galáxia se chama GLASS-z13, e está a 13,5 bilhões de anos-luz de nós. Ou seja, nós a vemos como era apenas 300 milhões de anos após o Big Bang, a explosão que deu origem ao nosso universo. Isso a torna 100 milhões de anos mais velha que a antiga recordista, a GN-z11, observada pelo Hubble em 2016.

Uma segunda galáxia, chamada GLASS-z11, tem idade similar. Elas têm uma massa correspondente à de galáxias formadas 500 milhões de anos após o Big Bang, o que leva os cientistas a acreditar que suas estrelas se formaram antes do esperado. Ambas são pequenas comparadas à nossa galáxia, a Via Láctea, que tem 100 mil anos-luz de diâmetro. GLASS-z13 tem apenas 1.600 anos-luz, enquanto a GLASS-z11 mede 2.300 anos-luz.

GLASS-z13, como vista pelo James Webb. (Imagem: Naidu et al, P. Oesch, T. Treu, GLASS-JWST, NASA/CSA/ESA/STScI)
GLASS-z13, como vista pelo James Webb. (Imagem: Naidu et al, P. Oesch, T. Treu, GLASS-JWST, NASA/CSA/ESA/STScI)

A descoberta ainda depende de confirmação independente. "Encontramos duas candidatas muito promissoras a galáxias extremamente distantes", disse à New Scientist Rohan Naidu, estudante de graduação envolvido no estudo.

"Se essas galáxias estiverem na distância em que acreditamos que estão, o universo tinha apenas alguns milhares de anos de idade naquele ponto".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos