Mercado abrirá em 1 h 10 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,39
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.777,60
    +10,80 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    60.785,70
    -1.720,75 (-2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.352,29
    -28,66 (-2,08%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.019,74
    +36,24 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,50
    +10,50 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7286
    +0,0075 (+0,11%)
     

James Webb: conheça alguns dos primeiros estudos que utilizarão o telescópio

Daniele Cavalcante
·5 minuto de leitura

O Telescópio Espacial James Webb ainda não foi lançado, mas a NASA já selecionou as pesquisas que terão o privilégio de contar com as observações do futuro maior observatório espacial do mundo. Dentre 1172 propostas enviadas antes do prazo, 266 foram aceitas pelos membros dos painéis responsáveis pela seleção, o que garante aos proponentes um tempo de uso do telescópio durante o chamado Ciclo 1.

Além da NASA, fazem parte do projeto de desenvolvimento do James Webb a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Canadense (CSA). O lançamento está previsto para o final de 2021, um momento aguardado por toda a comunidade de astrônomos do mundo. É que, quando estiver operacional, espera-se que o observatório seja capaz de desvendar mistérios como a formação do Sistema Solar, a formação de buracos negros supermassivos, e muito mais.

(Imagem: Reprodução/NASA)
(Imagem: Reprodução/NASA)

Ele estará disponível para pesquisadores de todo o mundo, mas cada minuto de utilização do Webb é preciso — e extremamente disputado. São “apenas” 6.000 horas de observação disponibilizadas para a comunidade, o que não é muito se considerarmos o tempo necessário para cada pesquisador obter os dados que deseja. Para selecionar os pesquisadores que poderão utilizá-lo, as agências espaciais criaram critérios rigorosos. Os proponentes tiveram a chance de enviar suas ideias de pesquisas e as agências passaram três semanas em web conferências para selecionar os felizardos.

As 6.000 horas representam cerca de dois terços de todo o tempo de observação do Ciclo 1; o restante do tempo será alocado para outros programas. Além disso, das propostas selecionadas, 41% usarão principalmente o instrumento NIRSpec, a bordo do Webb, enquanto 28% usarão mais o instrumento MIRI. O primeiro é um espectrógrafo multi-objeto capaz de medir simultaneamente o espectro infravermelho próximo de até 100 objetos, enquanto o segundo poderá medir a faixa de comprimento de onda do infravermelho médio a longo de 5 a 27 micrômetros.

Pesquisas já selecionadas para o James Webb

Os programas selecionados são dos mais variados campos da astronomia e as observações científicas começarão após um período de comissionamento de 6 meses após o lançamento. Estão inclusos estudos em exoplanetas e discos planetários, galáxias, meio intergaláctico e buracos negros. Abaixo, comentamos alguns dos mais interessantes, que dão uma boa noção de o quão fascinantes são as pesquisas que se tornarão notícia em breve.

Exoplanetas e discos

(Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)
(Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)
  • Pesquisa profunda sobre moléculas raras e isotopólogos em discos formadores de planetas

  • Cinturões gelados semelhantes ao nosso Cinturão de Kuiper, mas em sistemas exoplanetários

  • Uma pesquisa sobre nosso vizinho estelar mais próximo em busca de planetas e emissões zodiacais

  • Uma pesquisa molecular profunda de HD 189733b, que é um planeta extrassolar gigante, parecido com Júpiter

  • Espectroscopia de infravermelho da água em planetas rochosos

  • Uma busca pelos planetas gigantes que impulsionam a acreção das anãs brancas

  • Espectroscopia do disco circunplanetário ao redor do jovem planeta CT Chamaeleontis companheiro da estrela CT Cha

  • A Química da Formação do Planeta: um Levantamento de 4 discos formadores de planeta

  • Está chovendo lava à noite no planeta 55 Cancri e?

Galáxias

)(Imagem: Reprodução/S. Dagnello/NSF/NRAO/AUI)
)(Imagem: Reprodução/S. Dagnello/NSF/NRAO/AUI)
  • Uma sondagem no meio interestelar de galáxias no universo primordial

  • A história da formação inicial do halo mais massivo na era da reionização

  • Estudo sobre o conteúdo estelar e de gás das galáxias durante o meio-dia cósmico

  • Testemunhando o meio circungaláctico em formação: a poeira quente e o gás molecular em um vento galáctico que bate recordes

  • Medições diretas de metalicidade em galáxias com alto desvio para o vermelho

  • A primeira pesquisa completa espectroscópica da era da reionização

  • Pesquisa para desvendar as galáxias mais obscuras do universo

  • Pesquisa em galáxias ultraluminosas da aurora cósmica

Estrutura em grande escala do universo

  • As primeiras observações da luminosidade ionizante das galáxias na época da reionização

  • Uma tentativa de responder ao problema mais importante da cosmologia atual: a tensão na constante de Hubble é real?

  • Um teste definitivo do paradigma da matéria escura em pequenas escalas

  • Medição de brilho absoluto da luz de fundo extragalática usando eclipses de satélites galileanos

Sistema Solar

(Imagem: Reprodução/ maxxyustas/Envato)
(Imagem: Reprodução/ maxxyustas/Envato)
  • Eventos extremos em gigantes gasosos: impactos e erupções tempestuosas

  • Análise de observações de Urano

  • Dinâmica e variabilidade temporal na atmosfera de netuno

  • Sistema Climático de Plutão

  • Variabilidade e abundância de hidratação no asteroide Psique: a busca por água no maior asteroide metálico

  • Desvendando os constituintes primordiais e os processos exogênicos que moldaram a superfície de Calisto

  • Uma pesquisa paralela de água pura no cinturão de asteroides

Física estelar e tipos estelares

  • A origem da nebulosa do caranguejo

  • Choques e ejeção em expansão na Supernova 1987A

  • Água em estado sólido dentro da linha de neve em discos formadores de planetas: explorando a origem da água em planetas terrestres

  • Pesquisa nas assinaturas de acreção nas proto-estrelas mais jovens, como a L1527 IRS

  • Buscar entender a origem da poeira em supernovas do tipo IIn

  • Teste da evolução do disco protoplanetário e a formação de anãs marrons

  • Espectroscopia nebular de um Kilonova

  • Anãs marrons, anãs brancas e discos planetários em um antigo sistema estelar

Buracos negros supermassivos

(Imagem: Reprodução/ESO/M. Kornmesser)
(Imagem: Reprodução/ESO/M. Kornmesser)
  • Feedback sobre buracos negros supermassivos em núcleos empoeirados

  • Uma visão abrangente dos quasares mais distantes da época da reionização

  • Busca pela descoberta de buracos negros de massa intermediária

  • Monstro no universo primitivo: desvendar a natureza de um quasar que hospeda um buraco negro de 10 bilhões de massas solares

Existem muitas outras pesquisas incríveis selecionadas para o Ciclo 1 do James Webb. Se quiser conferir a lista completa, acesse o site do STScI.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: