Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.017,43
    -184,08 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

'James Bond' põe fim à espera e volta às telas para salvar o cinema

·4 minuto de leitura

O capítulo mais recente das aventuras de "James Bond", "007 - sem Tempo para Morrer", teve sua pré-estreia nesta terça-feira em Londres, um filme de ação repleto de surpresas, em que Caniel Craig oferece a versão mais humana do popular agente secreto.

Longamente aguardado após vários adiamentos por conta da pandemia, o 25ª longa do agente "007" estreia nesta quinta-feira no Reino Unido e um dia depois na Espanha e em parte da América Latina. No filme, Craig se coloca à serviço de Sua Majestade pela última vez, e o nome de seu substituto ainda é um mistério. O fim do longa, que quebra vários códigos da franquia, deixa todas as hipóteses em aberto.

"A Covid complicou tudo, mas estamos aqui, lançamos o filme e eu não poderia estar mais feliz", disse Craig, que vestia um paletó de veludo rosa, em meio à chuva que caía sobre a capital britânica.

Compareceram à pré-estreia a iconoclasta estrela do pop Billie Eilish, 19, cantora mais jovem a compor e interpretar músicas para a saga, e a realeza britânica, representada pelos príncipes Charles e William e suas mulheres.

Britânica de origem jamaicana, Lashana Lynch interpreta uma nova agente do MI6, feminina e negra, pela qual Bond é relegado do controle de um avião, o que representa uma mudança de paradigma em relação ao sexismo dos filmes anteriores. "É um momento incrível ter uma protagonista negra no filme", disse Lashana.

- Missão: salvar o cinema -

Inicialmente prevista para abril de 2020, a produção enfrentou uma longa lista de contratempos, incluindo 18 meses de uma pandemia que deixou as salas de cinema fechadas ou esvaziadas.

Agora, o desafio é fazer com que os espectadores retornem às salas. E muitos esperam que a estreia do 25º filme da série do agente 007, que a rede Vue Entertainment apresenta como o "evento cinematográfico do ano", represente uma retomada para o setor.

"Há uma grande expectativa", admitiu Craig antes da estreia. Ele declarou que espera "dar algum tipo de impulso à indústria" com o filme de 2 horas e 43 minutos, o mais longo da série, que terá estreia exclusiva nos cinemas.

O tapete vermelho do Royal Albert Hall de Londres recebeu o ator inglês e seus colegas de elenco, incluindo a cubano-espanhola Ana de Armas, o americano Rami Malek e a francesa Léa Seydoux.

- Sexismo e papéis femininos -

Após bater alguns recordes de seus antecessores, desde que o escocês Sean Connery interpretou em 1962 o agente secreto criado pelo escritor Ian Fleming em "007 contra o Satânico Dr. No", Craig, 53 anos, deixará a série após este filme.

Criticado em 2006 ao assumir o papel de 007 em "Cassino Royale", o ator foi elogiado mais tarde por dar profundidade e complexidade emocional ao personagem. Após "007 - Contra Spectre" de 2015, declarou à revista "Time Out" que preferia "cortar os pulsos" a retomar o papel, mas acabou aceitando a nova missão, desta vez sob a direção de Cary Joji Fukunaga.

Primeiro cineasta americano a dirigir um filme de James Bond, o californiano se tornou famoso com a aclamada primeira temporada da série "True Detective" (2014) e o filme "Beasts of No Nation" (2015).

Fukunaga assumiu o projeto depois que o cineasta britânico Danny Boyle - diretor de filmes como "Trainspotting" e "Quem Quer Ser um Milionário"? — anunciou a saída da produção por "diferenças criativas" com os produtores, o que provocou o primeiro atraso em um longa-metragem inicialmente previsto para estrear no fim de 2019.

Rodado na Jamaica, Itália e Noruega, com um custo avaliado em 250 milhões de dólares, o filme também foi adiado por acidentes durante as gravações e uma lesão de Craig.

A história começa com um 007 aposentado que descansa na Jamaica. Mas sua tranquilidade é interrompida quando um antigo amigo da CIA, Felix Leiter, pede ajuda para o resgate de um cientista sequestrado.

Bond tem que trabalhar com uma agente, interpretada pela britânica Lashana Lynch, e se vê relegado ao segundo plano quando ela pilota um avião. "Estão fazendo o correto e acredito que continuarão o fazendo no futuro", declarou a atriz ao canal Sky News Lynch.

Após a estreia tão aguardada, o mistério fica por conta de quem interpretará 007 após Craig. A produtora Barbara Broccoli considera que o personagem deve continuar sendo interpretado por um homem.

acc/mis/bl/fp/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos