Mercado fechado

Dólar está 'um pouquinho' alto, diz Jair Bolsonaro

Bolsonaro afirmou que dólar está um "pouquinho alto". (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que, como cidadão, considera que a cotação do dólar ante o real está "um pouquinho" alta, um dia depois de a moeda norte-americana fechar em recorde ante o real e, na abertura desta quinta, renovar as máximas históricas.

“Dólar. Eu, como cidadão, (acho que) está um pouquinho alto. Está um pouquinho alto o dólar”, disse Bolsonaro a jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada nesta manhã.

Leia também

Indagado sobre a fala da véspera do ministro da Economia, Paulo Guedes, que ao defender o atual patamar do dólar, chegou a criticar que anos atrás até empregada doméstica estava viajando para a Disney, Bolsonaro evitou comentar e disse que respondia somente pelos seus próprios atos.

O presidente também disse que pretende encaminhar a proposta do governo para uma reforma administrativa na próxima semana. "Pretendo encaminhar semana que vem. Pretendo. Está muito tranquila a reforma. Não será mexido nos direitos dos atuais servidores", assegurou.

DÓLAR A R$ 4,373

Um dia após o ministro dizer que o câmbio não está nervoso, o dólar renovou seu recorde e abriu a sessão desta quinta-feira a R$ 4,3734, alta de 0,53%. Na véspera, a moeda americana encerrou a R$ 4,3505, depois de Guedes se envolver em nova polêmica, ao afirmar que o dólar mais baixo estava permitindo a trabalhadores de renda mais baixa, como as domésticas, viajar até para Disney.

“O câmbio não está nervoso, (o câmbio) mudou. Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada. Pera aí. Vai passear ali em Foz do Iguaçu, vai passear ali no Nordeste, está cheio de praia bonita. Vai para Cachoeiro do Itapemirim, vai conhecer onde o Roberto Carlos nasceu, vai passear no Brasil, vai conhecer o Brasil. Está cheio de coisa bonita para ver”, disse o ministro, durante um evento em Brasília.

Na máxima da sessão desta quarta, a moeda chegou a R$ 4,3535, também o maior valor nominal (ou seja, sem considerar a inflação) já alcançado durante as negociações.

No mês, o dólar acumula valorização de 1,53% e, no ano, de 8,5%.

Analistas avaliam que cotação do dólar pode chegar a R$ 4,45, devido a um conjunto de fatores: redução dos juros básicos no Brasil (para 4,25%), uma agenda de reformas ainda incerta e os temores sobre o avanço do coronavírus.

com informações da Agência O Globo e Reuters