Mercado fechado

#Verificamos: É falso que Bolsonaro chegou a 90% de aprovação após discurso na ONU

Agência Lupa
·3 minutos de leitura
É falso que Bolsonaro chegou a 90% de aprovação após discurso na ONU - Foto: Reprodução
É falso que Bolsonaro chegou a 90% de aprovação após discurso na ONU - Foto: Reprodução

por ÍTALO RÔMANY

Circula nas redes sociais que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a 90% de aprovação, após discurso na abertura da 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira (22). Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

É falso que Bolsonaro chegou a 90% de aprovação após discurso na ONU - Foto: Reprodução
É falso que Bolsonaro chegou a 90% de aprovação após discurso na ONU - Foto: Reprodução

“E sua popularidade [de Bolsonaro] chegou a 90% de aprovação pelos participantes. Viva o Brasil”
Legenda de imagem publicada no Facebook que, até as 18h do dia 23 de setembro de 2020, tinha mais de 870 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há pesquisa publicada por qualquer instituto de pesquisa que indique tais números de aprovação de Jair Bolsonaro (sem partido) ou do governo federal. Tampouco há registros na imprensa sobre a aprovação de Bolsonaro após o discurso na ONU, inclusive pelos poucos participantes presentes na abertura da Assembleia Geral, em Nova York.

No site da ONU, há uma publicação sobre o discurso de Bolsonaro. De acordo com o texto, o presidente destacou as medidas sociais e econômicas implementadas por seu governo para enfrentar a Covid-19 e o que ele vê como a “politização do vírus” no maior país da América do Sul. Entretanto, em nenhum momento é citado algum dado sobre aprovação ou comentário de algum participante presente na Assembleia.

Pesquisas

Na última pesquisa divulgada pelo Datafolha, de 14 de agosto, realizada com 2.065 brasileiros, a aprovação ao governo alcançou a melhor marca desde o início do mandato, subindo de 32% para 37%. Consideram-se neste cálculo os entrevistados que avaliam o governo como “bom” ou “ótimo”.

Nessa sexta-feira (18), o PoderData publicou uma pesquisa que mostra que, entre aqueles que receberam ou aguardam receber o auxílio emergencial, a aprovação do governo Bolsonaro é de 55%. Os dados foram coletados entre 14 e 16 de setembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 459 municípios.

Já a pesquisa da XP/Ipespe, divulgada dia 14 de setembro, aponta que 39% dos entrevistados avaliam o governo do presidente Jair Bolsonaro como bom ou ótimo. Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, dos dias 8 a 11 de setembro.

“Bolsonaro é aplaudido de pé na ONU”
Legenda de imagem publicada no Facebook que, até as 18h do dia 23 de setembro de 2020, tinha mais de 870 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Após a finalização da transmissão do vídeo do discurso de Bolsonaro nas Nações Unidas, as poucas pessoas presentes no plenário somente aplaudiram a fala, sentados, sem nenhuma outra manifestação favorável ao presidente, como é possível perceber no vídeo oficial transmitido pela própria ONU no Youtube.

Este ano, devido às limitações de distanciamento social por causa da pandemia, os líderes mundiais tiveram que gravar previamente seus discursos para o debate, que foram transmitidos em telas no Salão da Assembleia Geral.

Discurso na ONU

Nesta terça-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou na sessão de abertura da 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na ocasião, o presidente defendeu as ações tomadas pelo governo brasileiro contra a Covid-19 e acusou opositores de fazer uma suposta campanha de desinformação sobre as queimadas na Amazônia e no Pantanal. A Lupa checou algumas das afirmações do presidente.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés