Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.475,65
    -1.826,52 (-4,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

De itens tech a canais do YouTube: como a tecnologia revolucionou a gastronomia

·9 minuto de leitura

A tecnologia tem sido responsável por grandes mudanças em nosso cotidiano. No entanto, numa era puramente tecnológica, fica difícil mensurar todos os impactos. Um deles, por exemplo, é a maneira como cozinhamos e como lidamos com a gastronomia.

É claro que o impacto da tecnologia na culinária tem início já nos eletrodomésticos aos quais já estamos acostumados, como geladeira, microondas, etc. No entanto, a gastronomia nunca foi uma área tão tech quanto no período atual. Grande parte disso se deve à trajetória nos meios de comunicação, mas principalmente na televisão, considerando que muitos programas

Redes sociais

As redes sociais exercem impactos na maneira como as pessoas lidam com a gastronomia atualmente (Imagem: Charles Deluvio)
As redes sociais exercem impactos na maneira como as pessoas lidam com a gastronomia atualmente (Imagem: Charles Deluvio)

Quem nunca tirou uma foto do almoço para postar no Instagram, que atire a primeira pedra. A ascensão das redes sociais mudou muito a nossa relação com a comida. Fotos, vídeos, publicações em geral voltadas à culinária passaram a fazer parte de nosso feed inevitavelmente, e nessa onda, vários influenciadores digitais passaram a surgir: tanto chefs de cozinha dedicados a compartilhar seu conhecimento sobre o assunto, quanto cozinheiros amadores, interessados em compartilhas suas experiências.

Em abril deste ano, empresários brasileiros criaram DeliRec, uma rede social voltada exclusivamente para amantes da gastronomia. Basicamente, essa rede permite que os usuários coloquem receitas próprias, com descrição do passo a passo, fotos e vídeos, e compartilhem suas criações gastronômicas. Também dá para seguir amigos e chefs, organizando as receitas favoritas no feed.

O DeliRec também foca na transformação digital do segmento gastronômico e almeja ser uma fonte adicional de renda para profissionais, contando com 12 Super Chefs que compartilham dicas especiais e receitas exclusivas em planos pagos. Por enquanto, o DeliRec conta com 13 categorias de receitas, como carnes, aves, veganas e até Low Carb. A expectativa dos criadores é que até 2023 haja cerca de 400 mil receitas hospedadas na plataforma.

"As redes sociais mudaram muito a gastronomia. Hoje você tem acesso a milhares de receitas de culinária muito rapidamente. Todos os chefs renomados do país tem o seu canal oficial para falar de culinária. O ato de cozinhar deixou de ser uma tarefa complicada. As redes sociais, junto com a pandemia, incentivaram as pessoas a se desafiarem na arte de cozinhar", aponta Bruno Paes, diretor de Novos Negócios do DeliRec.

Segundo Paes, o primeiro passo dessas mudanças e talvez o mais importante foi o fim do mito de que cozinhar é impossível e que seria apenas para chefs de cozinha. "As redes sociais aproximaram os chefs dos fãs de culinária. São inúmeros chefs que ensinam uma maneira prática, fácil e rápida de cozinhar, tornando o aprendizado divertido e prazeroso. A pandemia nos ensinou que todos nós podemos ser nosso próprio chef e que vale a pena se arriscar na cozinha",completa.

Canais do YouTube

Mas quando se trata de redes sociais, uma das que se destacam na gastronomia é o YouTube, que carrega o legado deixado pelas receitas da televisão, e pelos reality shows de gastronomia. Muitos chefs e amadores se aventuram na plataforma de vídeos para compartilhar seus conhecimentos e fazer receitas, além de visitar restaurantes e até mesmo mostrar um pouco da culinária ao redor do mundo.

E um desses canais pertence a Mohamad Hindi, que acumula mais de 2 milhões de inscritos. O cozinheiro conquistou o público ao participar da lendária primeira temporada de Masterchef Brasil, em que ficou em quarto lugar. Mas foi no YouTube onde encontrou seu espaço, compartilhando receitas, viagens, visitas a restaurantes, temporadas e séries especiais.

O criador de conteúdo conta que a sua relação com a plataforma de vídeos teve início logo depois de sair do Masterchef, que foi transmitido em 2014. "Comecei a participar de alguns canais do YouTube. Foi aí que eu comecei a me inteirar mais no assunto, sendo convidado por outros youtubers. Também foi quando eu comecei a trabalhar com rede social, e foi surgindo esse desejo do YouTube", conta.

Para Mohamad, a principal diferença entre os vídeos e a televisão está no dinamismo. "No Youtube é mais dinâmico, te permite errar, usar isso a seu favor. Os vídeos são mais rápidos, as edições são mais rápidas também. Você não fica tendo muita cadência", afirma o cozinheiro. "O desafio é diversificar o conteúdo, não só ficar fazendo receitas, e profissionalizar a história. Levar a sério, como um trabalho mesmo", completa.

O youtuber não tem dúvidas de que a ascensão das redes sociais tem contribuído com a gastronomia. "A tecnologia [está presente] como um todo, desde as redes sociais, da era digital, até mesmo equipamentos. Aprender a cozinhar se tornou mais fácil não só com as redes sociais, mas também por causa de realities e programas culinários", reconhece Mohamad.

O criador de conteúdo também dá dicas para quem está pensando em apostar na área da gastronomia nas redes sociais. "Quando você vai criar conteúdos de gastronomia, deve trazer também outros temas, diversificar. Você pode falar de gastronomia em viagem, de gastronomia até em relação à música, por exemplo. E levar a sério, entender as plataformas e evoluir tanto em conteúdo quanto qualidade da captação, das pautas, dos formatos, tentar não ficar só fazendo receitas que bombam na internet. Criar setores dentro de uma empresa mesmo. Profissionalizar de modo geral", recomenda.

Sob o ponto de vista de Mohamad, sua carreira trouxe muito aprendizado empresarial, mas também emocional. "É muito complicado se expor, e uma mensagem que você passa pode ser interpretada de um jeito errado. A gente acaba influenciando pessoas. Acho que traz um lance de consciência muito importante do que a gente representa e de que a gente ajuda as pessoas também. Continuo aprendendo também formas de comunicação, como usar as redes sociais e a internet de uma forma melhor e mais correta", conta o youtuber.

Itens pra lá de tech

FoodSniffer, o dispositivo que determina o frescor de carnes cruas, impedindo o consumo de carnes ultrapassadas que possam fazer mal (Imagem: Divulgação/FoodSniffer)
FoodSniffer, o dispositivo que determina o frescor de carnes cruas, impedindo o consumo de carnes ultrapassadas que possam fazer mal (Imagem: Divulgação/FoodSniffer)

Não é segredo para ninguém que a cozinha está se tornando cada vez mais tecnológica. Podemos perceber isso com a ascensão da inteligência artificial, que já tomou conta de algumas geladeiras e fogões, por exemplo.

Uma geladeira com inteligência artificial tem a proposta de emitir avisos, com base no comportamento prévio de seus donos, quais alimentos precisam ser incluídos na lista de compra. Outra possibilidade avisar quais alimentos precisam ser consumidos rapidamente por estarem próximos de suas datas de validade. No futuro, também existe uma previsão de que as geladeiras com inteligência artificial poderão sugerir receitas com base nos alimentos que estiverem armazenados em seu interior.

Já os fornos com inteligência artificial contam com s ugestões de tempo para o preparo de determinados alimentos, e a potência do forno pode variar de acordo com o fabricante, o que impacta na hora do preparo. Com base nisso, a inteligência artificial entra para facilitar e evitar erros, e com base em suas próprias especificações técnicas, trazem instruções sobre temperatura e tempo.

Mas nem só disso vive o mercado da gastronomia. Vários itens têm sido inventados para ajudar as pessoas na cozinha, como o FOODsniffer, um dispositivo móvel que determina o frescor de carnes, aves e peixes crus. Uma vez conectado ao smartphone via aplicativo, ele mede os níveis de gás da carne crua, analisa os resultados e informa instantaneamente o nível de frescor e segurança para comer. É um produto que custa US$ 130 (aproximadamente R$ 697), e que tem potencial para se expandir no mercado mundial. Já pensou testar se aquele salmão suspeito realmente vai te fazer bem?!

E que tal uma tábua de carne que se conecta ao seu iPad e te permite medir as calorias dos alimentos, e mais, a quantidade de gordura, proteína, carboidrato e outros nutrientes? Trata-se do Prep Pad, um item que lá fora custa cerca de US$ 140 (o que equivale a R$ 751), e ainda não tem aqui no Brasil.

Para se ter uma noção, a inteligência já chegou até mesmo nas panelas. A Pantelligent, além de frigideira, é um dispositivo inteligente e cheio de recursos high tech: vem equipada com um medidor de temperatura que funciona por meio de sensores e transmite os dados via Bluetooth, que também vem incorporado à panela. Por meio de um aplicativo, a frigideira usa as informações recebidas para fazer decisões como o momento certo de virar um bife, por exemplo, além de evitar que sua comida queime. Inclusive, já falamos sobre ela aqui no Canaltech.

Aplicativos

Aplicativos também são uma forma de inserir a tecnologia na gastronomia, e vice-versa, ajudando os usuários com suas receitas (Imagem: Jeff Sheldon/Unsplash)
Aplicativos também são uma forma de inserir a tecnologia na gastronomia, e vice-versa, ajudando os usuários com suas receitas (Imagem: Jeff Sheldon/Unsplash)

Mas você não precisa ter um item caro e todo inteligente para desfrutar da relação entre a gastronomia e a tecnologia, pois vários aplicativos estão aí justamente para te ajudar de diferentes maneiras. É o caso do Receitas Fáceis, por exemplo (Android), que traz diversas opções de receitas, organizadas em categorias como: salgados, pizzas, bolos, pudins, doces, pães, bebidas, fitness, saladas, carnes, tortas, entre outras.

Já a proposta do iCook (Android) é te ajudar não apenas com receitas, mas também com ingredientes e até o planejamento alimentar da sua semana. Para os #TeamApple de plantão, tem o Recipe Keeper (iOS), também com a ideia de organizar receitas, lista de compras e planejar de refeições.

O Cookpad Receitas Caseiras (iOS) também é um prato cheio para os usuários de iPhone e iPad. O app permite criar e compartilhar suas receitas com outros usuários. Depois de cozinhar suas receitas as pessoas enviam fotos dos pratos e também podem comentar sobre o resultado. Dentro do app, há o Cookpad Premium, uma assinatura mensal que oferece melhores resultados nas buscas, a possibilidade de conferir suas receitas mesmo estando offline e outras funcionalidades adicionais.

E não dá para não mencionar que os apps de delivery também revolucionaram bastante a nossa relação com a comida, permitindo o acesso a diferentes culinárias a um clique de distância. Os mais famosos são o iFood (Android, iOS), o Rappi (Android, iOS) e o Uber Eats (Android, iOS), mas tem vários outros por aí, como o Aiqfome (Android, iOS), com área de atuação voltada para cidades pequenas e médias, que já ensinamos aqui no Canaltech como utilizar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: