Mercado abrirá em 8 h 26 min

Itália dará R$ 33 mil para compradores de carros elétricos

Carros elétricos: Fiat 500e carregando em um posto de recarga
Carros elétricos: Fiat 500e carregando em um posto de recarga
  • Indústria de carros elétricos italiana é uma das que mais cresce no continente;

  • Subsídio será dado ao longo de 8 anos;

  • Para este ano já estão reservados 8,7 bilhões de reais para serem dados.

O governo da Itália está comprometido com a renovação da frota nacional de carros por veículos elétricos. Para isso, o país planeja dar até 6 mil euros, ou R$ 33 mil na conversão atual, para a compra dos carros movidos a bateria elétrica.

Em um anúncio realizado nesta terça-feira, 08, os governantes do país comunicaram que criarão uma reserva de 8,7 bilhões de euros, ou 48 bilhões de reais, até 2030 para realizar esse projeto. Destes, 700 milhões de euros, 8,7 bilhões de reais, ficarão disponíveis ainda neste ano para os cidadãos que queiram trocar seu veículo.

Com a ideia de reduzir as emissões de carbono da frota do país, os subsídios incluem também um fomento de 1,25 mil euros, ou 7 mil reais, para quem realizar a troca de seu carro antigo por um novo que também tenha motor a combustão, desde que atenda aos critérios de emissões Euro 6.

O subsídios de até 6 mil euros será dado para aqueles que adquirirem um veículo elétrico novo de até 35 mil euros, ou 193 mil reais. Um adicional de 2 mil euros, 11 mil reais, será dado caso o veículo antigo do proprietário seja de motor a combustão. Caso a escolha seja por um carro elétrico mais caro, de até 45 mil euros, ou 250 mil reais, o subsídio será menor, de 2,5 mil euros, ou 14 mil reais.

A política de incentivos também tem como objetivo fomentar e dar suporte à indústria automotiva do país. O país é um dos que têm a maior taxa de crescimento de vendas de veículos elétricos na Europa, com o modelo nacional Fiat 500e no topo dos rankings, com mais de 5 mil novos registros em junho de 2021.