Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,51
    -0,64 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.820,40
    -41,00 (-2,20%)
     
  • BTC-USD

    38.669,60
    -1.293,37 (-3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,12
    -32,35 (-3,26%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.240,88
    -195,96 (-0,69%)
     
  • NIKKEI

    28.980,11
    -310,90 (-1,06%)
     
  • NASDAQ

    13.894,00
    -87,25 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0735
    +0,0115 (+0,19%)
     

Itaipu inicia manobra para ajudar Paraguai a escoar grãos pelo rio Paraná

·2 minuto de leitura
Usina hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR)

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A hidrelétrica binacional de Itaipu iniciou nessa sexta-feira uma operação que deverá durar onze dias e visa aumentar o nível do Rio Paraná, ajudando no escoamento na produção de grãos do Paraguai, informou a empresa responsável pelo empreendimento.

O movimento vem em momento em que o rio encontra-se com baixo nível de água devido ao tempo seco no Brasil, o que reduz o volume de produtos que podem ser embarcados nos navios e prejudica exportações de países que utilizam a via, como o Paraguai e a Argentina.

Itaipu Binacional disse que a manobra para apoiar os paraguaios não envolverá desperdício de água, uma vez que os volumes liberados para o rio serão utilizados para gerar energia em suas turbinas, e não escoada pelo vertedouro.

"A usina de Itaipu iniciou, nesta sexta-feira, uma operação de 11 dias para garantir a navegabilidade do Rio Paraná a jusante da barragem (abaixo) e, por consequência, o escoamento da safra paraguaia de grãos, por meio de hidrovia. O Rio Paraná enfrenta uma das piores estiagens da história", informou a empresa à Reuters.

Autoridades paraguaias afirmam que a estiagem prejudica embarques de mais de 125 mil toneladas de soja e derivados do país, parados há 50 dias.

A medida de Itaipu deve permitir elevar a altura da água na região do município argentino de Ituzaingó nos dias 27 e 28 deste mês, para que as cargas possam atravessar de maneira segura os pontos críticos identificados no rio, segundo informações da chancelaria paraguaia a Itaipu.

A realização da manobra pela usina binacional foi negociada entre os ministérios de Relações Exteriores do Brasil e do Paraguai em conversas que envolveram também o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), responsável por coordenar o acionamento de usinas para atendimento à demanda por energia no Brasil.

"A vazão do Rio Paraná será regulada a montante (acima) da barragem e também com a contribuição do Rio Iguaçu, abaixo das Cataratas do Iguaçu. Portanto, não haverá desperdício de matéria-prima, já que a água liberada será turbinada e não escoada pelo vertedouro" , acrescentou Itaipu.

Esse é o segundo ano consecutivo em que a navegabilidade do Rio Paraná é gravemente afetada pela redução histórica na vazão, em consequência dos efeitos do fenômeno La Niña.

Itaipu chegou a realizar manobras como essa durante 2020, também devido ao baixo nível do Rio Paraná, visando apoiar carregamentos de grãos na Argentina e Paraguai.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos