Mercado fechado

Itaú, Santander e Bradesco fecham agências e reduzem 7 mil funcionários

Poliana Santos
Itaú, Santander e Bradesco fecham agências e reduzem 7 mil funcionários

Os grandes bancos, Itaú Unibanco (ITUB3), Santander Brasil (SANB4) Bradesco (BBDC4), reduziram juntos 6,9 mil trabalhadores no ano de 2019. Ao todo, foram 430 agências fechadas.

Os programas de demissões voluntárias (PDVS) motivaram a redução do quadro de colaboradores dos bancos. O total de agências físicas somam menos de dez mil pontos. O Itaú encerrou as atividades de 200 agências no quarto trimestre de 2019.

"O contínuo investimento em tecnologia permitiu ações com foco em eficiência de custos, como encerramento de agências e o PDVs, que levaram ao aumento de apenas 2,5% nas despesas não decorrentes de juros", informou o Itaú, por meio de relatório.

Por sua vez, o Bradesco reduziu sua rede em 100 pontos no ano passado, e a meta para 2020, é o encerramento de outras 300 agências.

O banco Itaú reduziu 5.454 colaboradores, desse modo, o quadro passou de mais de 100 mil para menos de 95 mil. O Bradesco desligou 1,276 mil funcionários, somando 97,329 mil pessoas trabalhando na instituição. Já o Santander, teve uma redução pequena de apenas 193 trabalhadores no ano, mas o banco não anunciou uma iniciativa de PDV.

De acordo com o jornal "Estado de S.Paulo", esses resultados são em decorrência da pressão com as concorrentes fintechs.

Lucro dos grandes bancos no 4T19

O Santander Brasil apresentou um lucro líquido de R$ 3,74 bilhões no quatro trimestre do ano passado. Em todo 2019, a filial brasileira do banco espanhol lucrou R$ 14,18 bilhões, crescimento de 16,6% em comparação com o ano anterior.

O banco Bradesco obteve um lucro líquido de R$ 25,8 bilhões em 2019. O valor representa uma alta de 20% em relação a 2018, quando o lucro foi de R$ 21,5 bilhões.

Veja Também: Confira a agenda de resultados trimestrais desta semana

Itaú Unibanco o banco registrou lucro líquido recorrente de R$ 7,296 bilhões ante R$ 7,156 bilhões obtidos no mesmo período de 2018. O montante indica alta de 1,9% na comparação anual.