Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    -0,14 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    41.090,75
    -606,88 (-1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,27 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,81 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    +10,75 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1854
    +0,1449 (+2,40%)
     

Itaú reestrutura corretora, contrata traders do BTG e JPMorgan

·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Itaú Unibanco Holding SA, maior banco da América Latina por valor de mercado, está reestruturando sua corretora e contratando executivos de bancos rivais em um esforço para manter sua liderança em meio a um boom no mercado de capitais.

“Com juros baixos e nosso PIB dando sinais de fortaleza, precisamos nos preparar para um nível de atividade maior e mais constante”, disse em entrevista Cristiano Guimarães, diretor executivo global do banco corporativo e de investimento do Itaú.

Guimarães, que assumiu a distribuição e o trading de ações e de renda fixa do banco em fevereiro, disse que a nova estratégia é “buscar a especialização, a criação de equipe específica para dar mais atenção à venda de ações e, ao mesmo tempo, crescer no trading”.

O banco nomeou Rodrigo Aché como chefe de estruturação e distribuição de ações, para ser “o elo entre a corretora e o banco de investimento - o dealmaker”, disse Guimarães.

Aché está supervisionando uma equipe com 18 executivos que também se reportam a Leonard Linnet, que foi contratado do JPMorgan Chase & Co como chefe de ações. Linnet é responsável por uma equipe de 60 executivos e também supervisiona a área de trading, sales trading, trading de derivativos e opções e operações para a corretora. Ele e Aché se reportam a Guimarães.

As ofertas de ações no Brasil atingiram um recorde este ano enquanto a emissão de títulos de dívida no mercado local quase dobrou, pois os investidores brasileiros buscam ativos de maior rendimento diante de baixas taxas de juros. Alguns investidores internacionais também estão retornando aos mercados brasileiros com a retomada do crescimento econômico, apesar da luta do Brasil contra a pandemia do Covid-19. O país vacinou com duas doses apenas 12% da população e as taxas de infecção diária ainda estão entre as mais altas do mundo.

O Itaú é o líder em operações de emissão de dívidas e também de ações do Brasil este ano, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Entre as novas contratações do banco está Thais Porto, ex-diretora executiva do Banco BTG Pactual, que foi nomeada chefe de vendas de ações para o Brasil. No negócio desde 2007, Porto teve passagens pelo Deutsche Bank AG e HSBC Holdings. Ela se reportará a Aché e a Linnet.

A equipe de Thais Porto terá seis executivos, entre eles Guilherme Gonçalves, que foi contratado do Banco Santander Brasil, e Bernardo Veiga, que ingressou do JPMorgan. O Itaú também contratou Pedro Nor como chefe de sales trading, tirando o executivo do JPMorgan, onde passou 10 anos. Ele se reportará a Linnet.

O Itaú, com sede em São Paulo, contratou 20 pessoas até agora este ano para os negócios de banco de investimento, sales e trading de ações e de renda fixa. A equipe conta agora com 300 funcionários e planeja contratar mais, disse Guimarães.

Na área de banco de investimento, o Itaú contratou Nathaniel Wendling, ex-sócio da butique G5 Partners, como managing director responsável pela cobertura de indústrias globais e infraestrutura.

A receita com banco de investimento no Brasil mais que dobrou este ano até 17 de junho em relação ao mesmo período do ano passado, para US$ 576 milhões, de acordo com a empresa de pesquisa Dealogic, com sede em Londres.

“Estamos vendo luz no fim do túnel na vacinação, não estamos em recessão, o consumo está voltando, então precisamos estar preparados para ainda mais movimento nos mercados de capitais”, disse Guimarães.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos