Mercado abrirá em 4 h 41 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,39
    +1,10 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.761,20
    -2,60 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    43.153,72
    -1.796,41 (-4,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.082,89
    -51,49 (-4,54%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.976,03
    +72,12 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    24.266,58
    +167,44 (+0,69%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.144,00
    +134,50 (+0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2897
    +0,0450 (+0,72%)
     

Itaú eleva projeção para crescimento do PIB a 5% em 2021 e corta estimativa de desemprego

·2 minuto de leitura
Pessoas passam em frente a uma loja em rua comercial do centro de São Paulo

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O Itaú Unibanco elevou de forma expressiva suas projeções para o desempenho do PIB em 2021, com normalização da taxa de poupança das famílias, forte retomada global com as commodities em ascensão e reabertura da economia brasileira em meio à expansão da vacinação.

O maior banco privado do país agora vê crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,0% em 2021, ante estimativa anterior de 4,0%. Para o primeiro trimestre, a previsão é de aumento de 0,6% na margem, enquanto entre abril e junho a atividade deverá agora crescer 0,6%, e não mais cair 0,1%.

O IBGE divulga o PIB do primeiro trimestre em 1º de junho.

O setor de serviços, o de maior peso no PIB, deverá mostrar recuperação mais forte no segundo trimestre, efeito do relaxamento em medidas de restrição a mobilidade. O banco projeta crescimento de 11,7% em abril e 30,9% em maio (com ajuste sazonal ante o mês anterior) para o componente de serviços prestados a famílias da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), que tem relação importante com o PIB do setor.

Com base nos prognósticos para os dois primeiros trimestres do ano, o carrego estatístico para o crescimento de 2021 já será de +4,6%. Ou seja, mesmo se a atividade econômica ficasse estagnada no segundo semestre, o crescimento de 2021 já seria mais próximo de 5% do que de 4%, disse o banco.

Mas no segundo semestre o Itaú prevê crescimento de 0,7% do PIB em cada um dos trimestres.

"Avaliamos que o setor de serviços deve continuar crescendo ao longo do segundo semestre à medida que a vacinação avançar", disse o Itaú em relatório, que cita ainda a menor dependência das atividades de consumo de bens (vendas no varejo, produção industrial) a restrições de mobilidade.

"Tudo isto reforça nossa visão de que os efeitos econômicos de possíveis pioras da pandemia tendem a ser significativamente menores do que o observado na primeira onda."

Com a expectativa de atividade mais aquecida, o Itaú revisou ainda a projeção de taxa de desemprego ao final do ano de 12,7% para 12,3%. "Esta projeção envolve maior grau de incerteza do que o usual, porque implicitamente assumimos que os dados da Pnad Contínua ficarão mais consistentes com as nossas próprias medidas de evolução do mercado de trabalho."

O IBGE divulgou mais cedo que a taxa de desocupação chegou a 14,7% nos três meses até março, de 13,9% nos últimos três meses de 2020, atingindo 14,805 milhões de pessoas --a maior taxa de desemprego e o maior contingente de pessoas sem trabalho na série histórica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos