Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.564,11
    +752,96 (+2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Itaú compra corretora digital Ideal

·1 min de leitura

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - O Itaú Unibanco anunciou nesta quinta-feira acordo para comprar a corretora digital Ideal no primeiro movimento do conglomerado no setor desde que vendeu participação na XP.

O Itaú pagará cerca de 650 milhões de reais por uma participação de 50,1% na Ideal e terá o direito de adquirir os 49,9% restantes após cinco anos.

Segundo o Itaú, a aquisição permitirá, entre outros fatores, "a oferta de produtos e serviços financeiros em modelo B2B2C", a aceleração da entrada no mercado de agentes autônomos de investimentos e o aperfeiçoamento na distribuição de produtos de investimentos para clientes pessoas físicas.

Criada em 2019, a Ideal fornece infraestrutura para operações eletrônicas e acesso direto ao mercado para investidores.

"Na prática, clientes de diversos segmentos do banco, como iti, íon ou mesmo a Itaú Corretora, poderão ter acesso aos mesmos produtos nas plataformas que preferirem", disse o presidente-executivo do Itaú Unibanco, Milton Maluhy.

O Itaú afirmou que a Ideal seguirá operando como uma entidade separada do restante do grupo.

O Itaú comprou 49,9% da XP em 2018 e planejava assumir o controle da empresa alguns anos depois, mas o Banco Central impediu a transação por questões de defesa da competição. Depois disso, o Itaú decidiu entregar as ações da XP diretamente a seus acionistas principalmente para evitar potenciais conflitos de interesse entre as duas instituições.

(Por Gabriel Araujo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos