Mercado abrirá em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,44 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,45 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,12
    +0,09 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.918,80
    -10,70 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    12.871,83
    +1.814,82 (+16,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,078
    +13,19 (+5,39%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,98 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.757,52
    -18,98 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -92,73 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    11.641,75
    -49,50 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6413
    -0,0087 (-0,13%)
     

Itália prepara 15 bi a 20 bi de euros em novo estímulo, diz fonte

Por Giuseppe Fonte
·1 minuto de leitura

Por Giuseppe Fonte

ROMA (Reuters) - A Itália está preparando um novo pacote de gastos no valor de 15 bilhões a 20 bilhões de euros para ajudar sua economia devastada pela crise de coronavírus, o que empurrará seu déficit orçamentário para além de 11% da produção nacional, disse uma fonte do governo à Reuters.

O novo pacote, que precisa ser aprovado pelo Parlamento, envolverá empréstimos adicionais e direcionará a dívida pública da Itália para 157% da produção nacional, de meta atual de 155,7%, acrescentou a fonte.

"Precisamos aumentar os fundos para complementar a renda dos trabalhadores temporariamente demitidos e apoiar as autoridades locais cujas receitas fiscais foram afetadas pela quarentena", disse a fonte, citando alguns dos usos aos quais o novo empréstimo será aplicado.

O Tesouro se recusou a comentar.

O surto de Covid-19, confirmado pela primeira vez em 21 de fevereiro, matou mais de 34.600 italianos, colocando a Itália entre os países mais afetados pela pandemia. O Tesouro estima que a economia contrairá pelo menos 8% este ano devido a medidas de isolamento.

Procurando amenizar a recessão, Roma já adotou medidas que vão aumentar o déficit em 75 bilhões de euros este ano, para 10,4% da produção nacional. O déficit orçamentário do ano passado foi de apenas 1,6%, a menor em 12 anos.

A dívida pública da Itália como proporção do PIB é a maior da zona do euro depois da Grécia.

Antes do novo estímulo, a ser aprovado em julho, Roma já havia prometido até 180 bilhões de euros em ajuda econômica para famílias e empresas, incluindo garantias estatais para empréstimos bancários, mas provavelmente muito menos será gasto.

(Reportagem de Giuseppe Fonte)