Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.866,70
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.776,37
    -2.787,11 (-6,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.195,01
    -2,91 (-0,24%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.299,00
    -4,50 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4104
    +0,0005 (+0,01%)
     

Itália planeja abrir turismo em meados de maio para salvar setor

John Follain e Flavia Rotondi
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Itália planeja abrir o país aos turistas em meados de maio com a promessa de uma série de medidas para proteger os visitantes do coronavírus em meio à crise do setor, afetado por lockdowns e restrições de mobilidade.

Como parte da iniciativa para resgatar o segmento, o governo italiano quer introduzir os chamados passaportes da vacina antes da União Europeia, disse o ministro do Turismo, Massimo Garavaglia, em entrevista. “As condições são apropriadas para iniciar a temporada de verão em 15 de maio”, disse Garavaglia, parlamentar de 53 anos da Liga, o partido de direita mais popular da Itália.

O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, está sob pressão para salvar o turismo, que responde por 13% do PIB da Itália. As visitas de turistas caíram em cerca de 75% no ano passado, o que gerou perdas equivalentes a 2% do PIB e colocou 100 milhões de empregos em risco, segundo relatório divulgado no início do mês.

O governo Draghi espera introduzir sua versão do planejado “certificado verde digital” da UE por meio de um decreto já nesta semana, disse Garavaglia, e estuda um serviço ferroviário “livre de Covid” para cerca de 90 destinos, com testes rápidos obrigatórios de pré-embarque para passageiros.

Os pontos de controle em lugares turísticos populares são outra opção. “Em Veneza, estão estudando soluções para ajudar a entrada de turistas, talvez por meio de controles, nos poucos pontos de entrada da cidade”, disse Garavaglia.

O governo também planeja destinar mais de 1,7 bilhão de euros (US$ 2,1 bilhões) em apoio a empresas e trabalhadores que perderam receita por causa da pandemia, disse Garavaglia, e prevê ferramentas financeiras, como minitítulos, que permitiriam o agrupamento de empresas em busca de financiamento para obras estruturais em hotéis e restaurantes.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.