Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    47.046,02
    +906,55 (+1,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7577
    +0,0188 (+0,28%)
     

Isso é muito Black Mirror! Patente da Microsoft tem bot que imita pessoas mortas

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Se você já assistiu Black Mirror, talvez se lembre do episódio intitulado Be Right Back, em que uma jovem decide usar a tecnologia para ressuscitar seu namorado morto por meio de uma inteligência artificial para que eles possam continuar juntos. Acontece que recentemente a Microsoft adquiriu uma patente de um chatbot capaz de simular o comportamento de pessoas que já morreram, com base em informações pessoais, permitindo simular uma conversa com os usuários da ferramenta. O registro atraiu inevitáveis comparações com o episódio, e causaram estranhamento.

"A pessoa específica que o chat bot representa pode corresponder a alguém que já se foi ou que ainda está presente, como um amigo, um parente, um conhecido, uma celebridade, um personagem fictício, uma figura histórica etc. A pessoa específica também pode corresponder a si mesmo, por exemplo, com o próprio usuário criando e treinando o chatbot. Isso também significa que usuários vivos podem treinar um substituto digital em caso de morte", diz o documento.

No episódio de Black Mirror, a personagem interpretada por Hayley Atwell sente saudade de seu namorado, Ash Starmer (Domhnall Gleeson), que morreu em um acidente de carro. Levada a medidas desesperadas, a personagem de Atwell decide usar a tecnologia para ressuscitar seu namorado morto por meio de inteligência artificial: usando um novo serviço online, ela carrega todas as comunicações digitais anteriores do namorado e perfis de mídia social, que a plataforma usa para criar um Ash virtual.

Episódio de Black Mirror traz a versão virtual de uma pessoa morta (Imagem: Reprodução/Netflix)
Episódio de Black Mirror traz a versão virtual de uma pessoa morta (Imagem: Reprodução/Netflix)

A princípio, essa simulação do namorado via chatbot satisfaz a personagem, mas com o tempo, ela decide ir ainda mais fundo, levando à contratação do serviço completo, que consiste na simulação física do namorado dela. Ou seja, eles praticamente recriam a pessoa, como um robô hiper realista. Como se trata de um episódio de Black Mirror, as coisas não acabam bem, exatamente.

Mas voltando para a Microsoft, outro detalhe revelado é a possibilidade de o bot se transformar em um modelo 2D ou 3D da pessoa simulada. Soa familiar para você? A patente pode ser vista completa aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: