Mercado fechará em 1 h
  • BOVESPA

    108.875,05
    +937,94 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.519,22
    -371,37 (-0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,06
    +1,75 (+2,10%)
     
  • OURO

    1.849,30
    +7,60 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    37.169,96
    +1.765,93 (+4,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    845,41
    +24,82 (+3,02%)
     
  • S&P500

    4.324,65
    -85,48 (-1,94%)
     
  • DOW JONES

    33.978,60
    -385,90 (-1,12%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.061,75
    -439,25 (-3,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1645
    -0,0642 (-1,03%)
     

ISS terá uma galeria de arte com itens que serão comercializados — incluindo NFT

·2 min de leitura

A Estação Espacial Internacional (ISS) receberá sua primeira galeria de artes com itens que vão desde joias preciosas a obras de artes, que serão posteriormente vendidas. O projeto é fruto de uma parceria recém-firmada entre a startup Uplift Aerospace com a NASA; e está previsto para ser implementado no segundo semestre deste ano.

O Constellation Vault faz parte das ambições da Uplift em estabelecer um comércio na órbita da Terra. Entre as peças que serão guardadas em um cofre do tamanho de um armário, estarão joias finas, peças de artes únicas e outros produtos totalmente desenvolvidos para clientes comerciais, astronautas e colecionadores.

A previsão é que o Constellation Vault seja lançado no segundo semestre de 2022 (Imagem: Reprodução/Uplift Aerospace)
A previsão é que o Constellation Vault seja lançado no segundo semestre de 2022 (Imagem: Reprodução/Uplift Aerospace)

No entanto, a Uplift admitiu que ainda não tem a logística do projeto elaborada. Segundo Josh Hanes, CEO da startup, a ideia é mostrar os itens enquanto eles estão embarcados na ISS. “Mas ainda estamos desenvolvendo o processo exato de como isso será feito”, acrescentou Hanes.

Parte das peças, ao retornar à Terra, será destinada a museus, mas os compradores terão a opção de comprar vídeos digitais (NFTs) do retorno desses produtos. Os NFTs funcionarão como uma espécie de cartão de membro para a comunidade “Space +”, onde os clientes terão acesso aos conteúdos digitais.

Acesso aos itens comprados da ISS

Os que garantirem os NFTs por um baixo valor, terão acesso a brindes de voos espaciais e aos itens que ficarão expostos na ISS. Antes disso, eles participarão de palestras do Space +, onde receberão insígnias de missões realizadas a bordo da estação espacial.

Conceito artístico da Nanoracks, uma das unidades orbitais comerciais previstas para a próxima década (Imagem: Reprodução/Nanoracks)
Conceito artístico da Nanoracks, uma das unidades orbitais comerciais previstas para a próxima década (Imagem: Reprodução/Nanoracks)

Hante também acrescentou que a empresa decidiu criar uma plataforma porque eles acreditam que os NFTs e criptomoedas terão grande utilidade no comércio espacial ao longo prazo. “Achamos que é um bom sistema de infraestrutura para o comércio entre o espaço e a Terra”, disse.

A Uplift Aerospace é pioneira em sistemas para o comércio espacial e pretende expandir seus negócios para as futuras estações comerciais a serem montadas na órbita da Terra. As empresas, artistas e outros colaboradores que farão parte da galeria a bordo da ISS serão revelados nos próximos meses.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos