Mercado fechará em 3 h 44 min
  • BOVESPA

    130.739,24
    +1.298,21 (+1,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.217,30
    -69,16 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,43
    +0,52 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.866,30
    -13,30 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    40.353,32
    +3.927,19 (+10,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,50
    +39,66 (+4,09%)
     
  • S&P500

    4.238,50
    -8,94 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    34.256,59
    -223,01 (-0,65%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.050,75
    +56,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1358
    -0,0568 (-0,92%)
     

ISS recomenda votos em CEO e diretores da Chevron

·1 minuto de leitura

Por Jennifer Hiller

(Reuters) - A influente consultoria de procuração Institutional Shareholder Services (ISS, na sigla em inglês) recomendou que os acionistas apoiem a reeleição do CEO da Chevron Corp, Michael Wirth, para o conselho da empresa e se oponham a uma proposta de divisão dos cargos na segunda maior produtora de petróleo dos Estados Unidos.

A ISS pediu votos para Wirth mas disse que a Chevron pode adotar medidas adicionais para administrar melhor riscos relacionados ao clima, de acordo com seu relatório.

Embora a Chevron tenha prometido limitar o ritmo de crescimento de suas emissões de carbono que contribuem para as mudanças climáticas, a empresa não estabeleceu metas de longo prazo para zerar as emissões líquidas, como muitas rivais europeias fizeram.

As recomendações vêm antes da reunião de acionistas da empresa, marcada para o dia 26 de maio.

A ISS também recomendou o apoio a outros diretores da Chevron.

As recomendações da ISS possuem peso entre investidores institucionais e normalmente guiam seus votos em reuniões corporativas.

A consultoria de governança Pensions & Investment Research Consultants (PIRC), baseada em Londres, exigiu oposição a Wirth por conta do acúmulo dos cargos de presidente do conselho e CEO na empresa, e pelo apoio a várias propostas climáticas e de governança.