Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.621,58
    -969,83 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,51
    -0,27 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.821,60
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.054,18
    -243,22 (-1,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    431,11
    -8,55 (-1,95%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.312,32
    -11,09 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    21.996,89
    -422,08 (-1,88%)
     
  • NIKKEI

    26.711,82
    -92,78 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.682,00
    -9,00 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4302
    +0,0196 (+0,36%)
     

ISS é manobrada para evitar colisão com lixo espacial de teste russo

No dia 16 de junho a Estação Espacial Internacional (ISS) precisou ser manobrada pela nave de carga russa Progress MS-20, atualmente ancorada a ela, para evitar a colisão com lixo espacial produzido por um teste antissatélite feito pela Rússia em novembro do ano passado. Em nota, a NASA informou que o laboratório orbital segue em segurança.

A informação sobre a manobra foi primeiramente informada pelo diretor da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitry Rogozin, pelo Telegram. Posteriormente a NASA forneceu mais detalhes da operação para remover a ISS do caminho de uma “nuvem” de detritos do antigo satélite russo Kosmos-1408.

Naves atualmente acopladas à ISS (Imagem: Reprodução/NASA)
Naves atualmente acopladas à ISS (Imagem: Reprodução/NASA)

Durante 4 minutos e 34 segundos, os motores da nave Progress foram ativados para realizar a manobra, elevando ligeiramente a altitude da ISS. Na mesma nota, a agência espacial estadunidense acrescentou que a tripulação a bordo do laboratório não esteve em risco e que atividade não atrapalhou os trabalhos na estação.

O satélite Kosmos-1408 foi lançado em 1982 pela então União Soviética, mas há muitos anos ele estava desativado. Em 15 de novembro do ano passado, a Rússia realizou um teste de míssil para destruir o satélite, mas a operação gerou uma nuvem de mais de 1.500 detritos na órbita da Terra.

A seguir, o vídeo da nave russa Progress durante a manobra:

Na época, os astronautas que estavam na ISS precisaram se abrigar em naves por conta do risco de uma possível colisão com estes destroços. Sem a recente manobra, informou a NASA, os fragmentos do satélite teriam passado a uma distância de 800 metros da estação.

A manobra, chamada prevenção de detritos pré-determinada (PDAM), aumentou o apogeu — ponto mais distante da Terra — da ISS para cerca de 420 km de altitude e o perigeu — ponto mais próximo — para cerca de 257 km de altitude.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos