Mercado abrirá em 5 h 5 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,61
    -0,44 (-0,68%)
     
  • OURO

    1.693,30
    +15,30 (+0,91%)
     
  • BTC-USD

    53.788,72
    +3.467,43 (+6,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.084,02
    +59,81 (+5,84%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.600,51
    +59,68 (+0,21%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.436,50
    +139,25 (+1,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9824
    +0,0226 (+0,32%)
     

Israel anuncia remédio que pode ajudar a curar COVID em até cinco dias

Fidel Forato
·3 minuto de leitura

No combate ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), médicos e pesquisadores se empenham na busca de medicamentos e tratamentos contra a infecção viral. Se as vacinas contra a COVID-19 avançaram muito desde o ínio da pandemia — e hoje temos milhões de imunizados —, não é possível dizer o mesmo dos remédios, já que cientistas ainda buscam comprovar sua eficácia. Agora, um hospital de Israel acredita ter encontrado um novo tratamento para casos moderados e graves.

Desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov de Tel Aviv, a fórmula contra a COVID-19 completou com sucesso a Fase 1 do estudo clínico com humanos, segundo os pesquisadores. Conhecida oficialmente como EXO-CD24, "a preparação é inalada uma vez por dia, durante alguns minutos, por um período de cinco dias”, explica o professor e um dos responsáveis pela pesquisa, Nadir Arber.

Remédio israelense age contra uma das complicações da COVID-19, a tempestade de citocinas (Imagem: Reprodução/ Daniel Roberts/ Pixabay)
Remédio israelense age contra uma das complicações da COVID-19, a tempestade de citocinas (Imagem: Reprodução/ Daniel Roberts/ Pixabay)

Até o momento, o medicamento experimental foi testado em 30 pacientes que estavam em tratamento no hospital com quadros moderados e graves da COVID-19. Como resultado, os pesquisadores afirmam que a fórmula auxiliou na recuperação de todos os pacientes, sendo que 29 deles se recuperaram em um intervalo de três a cinco dias.

Como funciona o remédio israelense?

Segundo os responsáveis pelo estudo, o medicamento combate a tempestade de citocinas, o que é considerada uma reação imunológica do próprio organismo. Essa situação ocorre quando o organismo gera uma quantidade exagerada de defesas contra o vírus, ou seja, é como se o sistema imunológico, ao invés de melhorar o quadro do paciente com COVID-19, causasse um agravamento do quadro clínico.

De forma detalhada, as citocinas são proteínas que regulam a resposta imunológica do organismo contra invasores. Isso significa que uma tempestade delas acontece quando há uma resposta do organismo excessiva — como em um temporal, onde não é mais possível controlar os estragos causados pela chuva e pela ventania. Além disso, essa situação progride de forma rápida e gera alta mortalidade nos pacientes que a apresentam.

No contexto da COVID-19, esse quadro é apontado como uma das causas da falência múltipla de órgãos que ocorre em determinados casos mais graves do coronavírus. Nessas pessoas, o aumento da quantidade de citocinas atrai muitas células inflamatórias para dentro do tecido pulmonar, o que causa danos severos e algumas vezes irrecuperáveis aos pulmões.

Controle da tempestade de citocinas

Para controlar essa reação exagerada do corpo, o remédio israelense leva uma proteína — chamada de CD24 — aos pulmões, através de exossomos (uma estrutura que transporta materiais entre as células). Inclusive, Arber já os estudava há décadas, segundo o jornal The Times of Israel. “Esta proteína está localizada na superfície das células e tem um papel bem conhecido e importante na regulação do sistema imunológico”, afirma a pesquisadora Shiran Shapira, da equipe responsável pela descoberta.

Dessa forma, quando a proteína chega aos pulmões, ela auxilia na contenção da tempestade de citocinas e acalma o sistema imunológico. "A fórmula é direcionada, diretamente, para o coração da tempestade — os pulmões — então, ao contrário de outras que restringem, seletivamente, uma determinada citocina ou operam amplamente, mas causam muitos efeitos colaterais graves, a EXO-CD24 é administrada localmente”, comenta o pesquisador Arber.

Sobre a descoberta, o diretor do Hospital, Ichilov Roni Gamzu, defendeu que a pesquisa “é avançada, sofisticada e poderá salvar pacientes com coronavírus. Os resultados do ensaio de Fase 1 são excelentes e nos dão confiança no método que [Arber] vem pesquisando em seu laboratório há muitos anos”.

Agora, o medicamento passará pelas outras fases de testes, como qualquer outro remédio, o que envolverá estudos mais abrangentes com humanos, durante as Fases 2 e 3. Todo esse processo garantirá segurança e eficácia para os possíveis usuários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: