Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,31 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    35.401,70
    +319,72 (+0,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,25 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,64 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -15,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1836
    +0,0535 (+0,87%)
     

Islândia barra entrada de novos mineradores de Bitcoin devido a crise energética

·2 min de leitura

Devido ao baixo nível em seus reservatórios e outros problemas, a Landsvirkjun, companhia de energia da Islândia, está precisando reduzir o abastecimento de eletricidade para algumas indústrias. Isso também está afetando mineradores, agora impedidos de começar ou ampliar as suas atividades no país, como informado pela Bloomberg.

Este não é um problema único da Islândia, afinal o Cazaquistão também já mostrou que está enfrentando questões similares. Apesar disso, vale notar a diferença entre os dois países, a maior delas é que a energia do Cazaquistão é proveniente da queima de carvão.

Por fim, o ano de 2021 mostrou-se um grande desafio tanto para o Bitcoin quanto para seus mineradores, que precisaram deslocar seus equipamentos para países menos opressores e com energia tão barata quanto as da China.

Corrida por energia barata

Após serem expulsos da China, grandes empresas mineradoras de Bitcoin estão buscando outros locais onde a energia seja barata e preferencialmente renovável, como é o caso de hidroelétricas.

Além do custo barato da energia e o fato de ser renovável, a Islândia também é o destino favorito de algumas gigantes do setor por conta de sua estabilidade governamental, ao contrário de países como Rússia, bem como devido ao seu clima frio que ajuda a cortar custos de refrigeração.

Apesar disso, o baixo nível em seus reservatórios, um mal funcionamento em uma estação e o atraso na obtenção de energia de produtores externos está fazendo com que a Landsvirkjun, companhia de energia da Islândia, rejeite pedidos de alimentação de mais equipamentos.

Setor de mineração é dinâmico

Mesmo após perder mais da metade de seu hashrate após a proibição da atividade na China, tanto o Bitcoin quanto seus mineradores mostraram que estão prontos para estes desafios.

Por um lado, o Bitcoin possui um mecanismo que ajusta a dificuldade da mineração a cada 2.016 blocos, equivalente a 14 dias considerando que o tempo médio de cada bloco é de 10 minutos. Retornando ao seu ápice nesta semana após bater a faixa de 190 EH/s.

Já os mineradores, embalaram suas ASICs e continuaram sua atividade em outros países como Islândia, EUA e Cazaquistão. Note que este último também está enfrentando problemas com falta de energia, assim como a Islândia.

Por fim, a mineração vem sendo uma atividade muito lucrativa, especialmente com o bom ano do Bitcoin. Além disso, países possuem grande interesse em acolher estes empreendedores, visto que eles podem gerar empregos, receitas — através de impostos — e injetar dinheiro no país em questão.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos