Mercado abrirá em 8 h 42 min
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,58
    +2,09 (+2,63%)
     
  • OURO

    1.672,20
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    19.150,92
    -156,59 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    435,39
    -8,03 (-1,81%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.018,62
    -204,21 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    26.097,95
    +160,74 (+0,62%)
     
  • NASDAQ

    10.970,75
    -64,75 (-0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3114
    +0,0035 (+0,07%)
     

Isenção de placa solar no Brasil vai até o fim do ano; veja como fazer

Consumidores tem até o começo do ano que vem para se candidatarem para receber incentivos fiscais na instalação de painéis fotovoltaicos
Consumidores tem até o começo do ano que vem para se candidatarem para receber incentivos fiscais na instalação de painéis fotovoltaicos
  • Geração própria de energia solar vem crescendo nos últimos dez anos;

  • Expectativa do Plano Decenal de Energia é que produção de energia solar dobre até 2031;

  • Incentivos fiscais e redução na conta de luz são os principais atrativos do setor.

Consumidores têm até o dia 6 de janeiro de 2023 para se candidatarem para a isenção da taxa de distribuição de energia solar. Com o prazo final se aproximando, muitas empresas viram uma alta na demanda pela instalação de painéis fotovoltaicos de geração de energia.

A iniciativa fiscal visa incentivar a geração própria de energia, deixando o consumidor gerador isento de encargos pelos próximos 23 anos. “O consumidor que pedir e realizar o procedimento até o dia 6 de janeiro tem isenção. Passado esse período, ele terá que pagar um pedágio de toda a energia que colocar na rede”, disse Bárbara Rubim, vice-presidente da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

A expectativa do Plano Decenal de Energia (PDE), elaborado pela EPE (Empresa de Pesquisa Energética) é que a participação da energia solar na matriz brasileira cresça dos 2% registrados em 2021 para 4% em 2031. Segundo a Absolar, nos últimos dez anos foram gerados 9 gigas de geração própria, o que seria uma marca impressionante por si só, mas apenas nos últimos sete meses foram gerados mais 3 gigas, totalizando 12 gigas de geração própria.

Além do incentivo fiscal, a crise hídrica do último ano aumentou o valor das contas de luz dos consumidores, o que ajudou também pela busca de alternativas no nível individual, como a instalação de painéis fotovoltaicos. “A energia solar fotovoltaica usa a luz do sol como fonte de eletricidade e por ser limpa, renovável e sustentável diminui os gastos com a conta de luz em até 90%”, garante Cleyton Gonçalves, CEO da Franquia Sollar Energy.