Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,06
    -1,09 (-1,51%)
     
  • OURO

    1.774,30
    -87,10 (-4,68%)
     
  • BTC-USD

    37.649,50
    -1.045,69 (-2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    935,00
    -34,88 (-3,60%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.187,75
    +206,50 (+1,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9625
    -0,1554 (-2,54%)
     

Irlanda tem 'sérias reservas' sobre plano de taxa de imposto global dos EUA

·1 minuto de leitura
O ministro da Economia francês, Bruno Le Maire (e), conversa com o ministro alemão das Finanças, Olaf Scholz (2e) antes de reunião em Lisboa

O ministro das Finanças da Irlanda, Paschal Donohoe, disse nesta terça-feira (25) que a Irlanda tem sérias reservas sobre o plano do presidente dos EUA, Joe Biden, de estabelecer uma taxa de imposto de pelo menos 15% sobre os lucros das multinacionais ao redor do mundo.

"Temos sérias reservas sobre uma taxa mínima de imposto mundial em um nível tal que significaria que apenas alguns países, e algumas das principais economias, poderiam se beneficiar dessa base", disse o ministro ao canal Sky News.

De acordo com o canal de televisão, Donohoe previu que o país manteria sua alíquota de imposto sobre as empresas em 12,5% por muitos anos.

Washington promoveu negociações na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para a implementação de impostos sobre os lucros das multinacionais que sejam harmonizados entre os diferentes países.

O governo Biden propôs aos seus parceiros da OCDE definir o imposto de renda corporativo global em um mínimo de 15% e que as negociações continuem com o objetivo de ser "ambicioso" e "aumentar essa taxa".

A reforma visa acabar com a competição fiscal entre os países.

O projeto surge quando o presidente dos Estados Unidos busca aumentar os impostos corporativos em seu país para financiar um grande plano de investimentos.

A OCDE espera um acordo global de princípio durante o G20 sobre Finanças, em 9 e 10 de julho, para finalizar o mecanismo em uma reunião no final de outubro.

cdu/oaa/mis/dg/ap/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos