Mercado abrirá em 2 h 34 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,79
    +0,74 (+1,14%)
     
  • OURO

    1.699,40
    +21,40 (+1,28%)
     
  • BTC-USD

    54.159,08
    +4.506,65 (+9,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.094,25
    +70,05 (+6,84%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.757,49
    +38,36 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.535,75
    +238,50 (+1,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Irlanda estende seu confinamento até abril, mas abrirá escolas em março

·1 minuto de leitura
Pessoas usando máscara como medida de precaução contra a covid-19 passam em frente a pubs fechados em rua de Dublin, em 25 de março de 2020

A Irlanda estenderá seu terceiro confinamento para combater a disseminação da covid-19 até 5 de abril, porém, abrirá as escolas em 1º de março, anunciou o primeiro-ministro irlandês, Micheál Martin nesta terça-feira (23).

Depois de conseguir conter a pandemia durante meses, esse país de cinco milhões de habitantes viveu um aumento explosivo de casos a partir de dezembro, principalmente devido à variante britânica, que agora "representa até 90% das novas infecções" no país, segundo Martin.

O governo irlandês ordenou no final de dezembro sua terceira quarentena e o fechamento de comércios não essenciais. As pessoas deverão ficar em casa pelo menos até 5 de abril, indicou nesta terça.

No entanto, as escolas, fechadas em janeiro, abrirão de forma parcial a partir de 1º de março, permitindo que 320 mil crianças voltem às salas de aula.

A Irlanda registrou 4.181 mortes por covid-19 desde o início da pandemia, mas 45% delas ocorreram em 2021.

Cerca de 350 mil doses da vacina contra o coronavírus foram administradas no país, cujo primeiro-ministro prometeu que mais de 80% dos adultos receberão pelo menos uma dose até o início do verão (inverno no Brasil).

jts-spe/mm/eb/erl/ic/mvv