Mercado fechará em 3 h 41 min
  • BOVESPA

    101.205,76
    +653,32 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.455,92
    -213,33 (-0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,87
    +0,84 (+2,10%)
     
  • OURO

    1.901,30
    -28,20 (-1,46%)
     
  • BTC-USD

    12.962,57
    +1.905,56 (+17,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,76
    +5,66 (+2,21%)
     
  • S&P500

    3.437,52
    +1,96 (+0,06%)
     
  • DOW JONES

    28.230,11
    +19,29 (+0,07%)
     
  • FTSE

    5.780,48
    +3,98 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -165,19 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.563,50
    -127,75 (-1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5948
    -0,0552 (-0,83%)
     

IRB Brasil RE tem prejuízo de R$62,4 mi em julho

Por Paula Arend Laier
·1 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

(Reuters) - O IRB Brasil RE divulgou nesta quarta-feira que teve prejuízo líquido de 62,4 milhões de reais em julho, segundo dados não auditados e enviados à Superintendência de Seguros Privados (Susep), ante prejuízo de 292,6 milhões de reais no mês anterior.

De acordo com a resseguradora, excluindo-se o impacto dos negócios descontinuados, o mês de julho registraria lucro líquido 36 milhões de reais.

O faturamento bruto em julho (prêmio emitido) somou 1,5 bilhão de reais, alta de 100,8% em relação ao mesmo período de 2019, sendo 1 bilhão de reais no Brasil e 531 milhões no exterior - expansão de 133% e 58,8% respectivamente, na mesma base de comparação.

"O crescimento em julho de 2020, decorre da renovação, com crescimento de coberturas, de um contrato no segmento de petróleo emitido no mês", afirmou a resseguradora em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A despesa de sinistro foi de 638,3 milhões de reais, com um índice de sinistralidade de 97,1% no mês de julho, revertendo a tendência observada no primeiro semestre de 2020, que apresentou uma sinistralidade de 108%. Quando excluídos os sinistros dos negócios não continuados, o índice fica em 73,2%.