Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.507,90
    -8,27 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

IRB Brasil quase dobra prejuízo no 3° tri por efeitos climáticos

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - A resseguradora IRB Brasil teve piora de 91,8% no prejuízo líquido no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2021, diante de sinistralidade maior do que a esperada pela empresa devido a efeitos climáticos no segmento rural.

O IRB Brasil teve prejuízo líquido de 298,7 milhões de reais entre julho e setembro, frente a prejuízo de 155,7 milhões um ano antes. Do outro lado, a companhia mostrou evolução frente ao segundo trimestre de 2022, quando apurou prejuízo de 373,3 milhões de reais.

O resultado do terceiro trimestre foi "impactado pelos efeitos climáticos que afetaram os contratos de riscos rurais e pela Covid-19 na linha de vida", disse o IRB no balanço.

A resseguradora teve que fazer neste ano uma oferta de ações para levantar cerca de 1,2 bilhão de reais para atender requerimentos mínimos de capital devido a novos prejuízos, desta vez ligados a sinistros com a quebra de safra.

O IRB disse que a quebra de safra por variações climáticas gerou "perdas significativas" para os produtores rurais, o que levou sua sinistralidade "a níveis não esperados" no trimestre, à medida que já esperava ver resultados melhores.

A sinistralidade total caiu de 119,3% para 116,8% em 12 meses, enquanto os prêmios emitidos pelo IRB cederam 7,5%, para 2,4 bilhões.

Nos indicadores regulatórios, o IRB disse que fechou o trimestre com suficiência do patrimônio líquido ajustado em relação ao capital mínimo requerido de 153,6 milhões de reais. Já a suficiência no enquadramento da cobertura de provisões técnicas e liquidez regulatória ficou em 325,9 milhões de reais.