Irã registra queda de 40% nas exportações de petróleo

O ministro de Petróleo do Irã, Rostam Qasemi, disse para a comissão de Orçamento e Planejamento do Parlamento que as exportações de petróleo do país caíram quase 40% em função das sanções impostas pelo Ocidente. É a primeira vez que o ministro admite que houve uma queda dessa magnitude, já que antes ele vinha minimizando o impacto das pressões internacionais.

Segundo divulgado pela agência de notícias ISNA, Qasemi reconheceu que ao longo dos últimos nove meses "houve uma queda de 40% nas vendas de petróleo e um recuo de 45% na repatriação de lucros com a venda de petróleo".

No ano passado, os países do Ocidente elevaram as sanções contra o setor de energia do Irã, para pressionar o governo local sobre seu controverso programa nuclear. A União Europeia proibiu a compra de petróleo do Irã, enquanto as vendas do petróleo iraniano para a Ásia foram afetadas por uma proibição europeia para o seguro de navios petroleiros vindos do país. Além disso, os EUA aplicaram sanções contra o banco central iraniano.

Analistas independentes e legisladores iranianos dizem que as exportações de petróleo do país foram reduzidas pela metade, de 2,2 milhões de barris por dia um ano atrás para cerca de 1 milhão de barris por dia atualmente. Hoje Qasemi disse acreditar que as exportações devem atingir 1,5 milhão de barris por dia no Ano Novo iraniano, que este ano cai em 20 de março.

Mesmo com a queda nas exportações, o ministro insiste que o país tem investido fortemente para aumentar sua capacidade de produção e manter seu status na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Segundo ele, quase US$ 25 bilhões foram investidos em projetos de produção e exploração de petróleo e gás desde março do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Carregando...