Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.704,96
    -658,14 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.248,84
    -465,76 (-0,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,06
    +0,40 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.800,60
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    60.801,88
    +1.790,40 (+3,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.491,73
    +72,36 (+5,10%)
     
  • S&P500

    4.596,42
    +44,74 (+0,98%)
     
  • DOW JONES

    35.730,48
    +239,79 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.249,47
    -3,80 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.670,00
    +82,75 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5958
    +0,1711 (+2,66%)
     

Irã precisa voltar a conversas nucleares para evitar escalada, diz autoridade francesa

·1 minuto de leitura
Bandeira do Irã em Viena

PARIS (Reuters) - O Irã precisa retomar as conversas com potências mundiais a respeito de seu acordo nuclear de 2015 para evitar uma escalada diplomática que poderia ameaçar as negociações, disse uma autoridade da Presidência da França nesta terça-feira.

Ela ainda disse que o Irã não pode estabelecer novas condições antes de voltar às conversas em Viena, já que os termos na mesa estavam claros.

Conversas indiretas entre o Irã e os Estados Unidos sobre a retomada do pacto que visa impedir que Teerã se torne capaz de desenvolver uma arma nuclear pararam em junho. No mês passado, Ebrahim Raisi assumiu como novo presidente iraniano.

Potências ocidentais pedem que o Irã volte às negociações e disseram que o tempo está se esgotando, já que seu programa nuclear está avançando muito além dos limites determinados pelo acordo, que Washington abandonou em 2018.

"Ninguém quer uma escalada, mas para evitar uma escalada o Irã precisa voltar à mesa de negociação", disse o funcionário da Presidência francesa aos repórteres.

Nas últimas semanas, Teerã sinalizou que as tratativas recomeçariam em algumas semanas sem dar uma data específica, aumentando a frustração de Reino Unido, França, Alemanha e EUA, as partes ocidentais do pacto de 2015.

O funcionário disse que potências mundiais, incluindo Rússia e China, precisamos permanecer unidas e que Pequim em especial precisa "se expressar e agir de uma maneira mais determinada".

(Por John Irish)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos