Mercado abrirá em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    125.675,33
    -610,27 (-0,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.634,60
    +290,49 (+0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,33
    -0,29 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.832,10
    -3,70 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    38.684,30
    -1.636,80 (-4,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    919,11
    -11,25 (-1,21%)
     
  • S&P500

    4.419,15
    +18,51 (+0,42%)
     
  • DOW JONES

    35.084,53
    +153,60 (+0,44%)
     
  • FTSE

    7.011,50
    -66,92 (-0,95%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.865,00
    -172,75 (-1,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0237
    -0,0168 (-0,28%)
     

Irã acusa EUA de interferência por criticarem eleição

·1 minuto de leitura
Presidente eleito do Irã Ebrahim Raisi em Teerã

DUBAI (Reuters) - O Irã acusou os Estados Unidos de interferência nesta terça-feira por dizerem que sua eleição não foi nem livre, nem justa, enquanto facções políticas trocaram acusações pelo comparecimento baixo recorde e o número alto de cédulas inválidas.

Ebrahim Raisi, juiz linha-dura alvo de sanções dos EUA, obteve uma vitória já esperada no sábado em uma eleição marcada pela apatia do eleitorado, resultante das adversidades econômicas e as restrições políticas.

Na segunda-feira, um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano disse que seu país considerou o processo que fez de Raisi o presidente eleito iraniano "bastante manipulado", reiterando a opinião dos EUA de que a eleição não foi nem livre, nem justa.

Teerã refutou as críticas.

"Consideramos este comunicado uma interferência em nossos assuntos internos, contrário à lei internacional, e o rejeitamos", disse o porta-voz do governo, Ali Rabiei, segundo citação da mídia estatal. Washington não tem autoridade para expressar opiniões sobre as eleições de outros países, acrescentou ele.

Na segunda-feira, cerca de 150 ex-autoridades da Organização das Nações Unidas (ONU) e especialistas legais e em direitos humanos internacionais pediram em uma carta uma comissão internacional de inquérito sobre as execuções extrajudiciais de milhares de presos políticos iranianos em 1988 nas quais Raisi é acusado de envolvimento.

Mais da metade dos eleitores habilitados estava insatisfeita demais para votar ou pareceu ter ouvido os apelos de dissidentes em casa e no exterior para boicotar a votação de sexta-feira.

(Da redação de Dubai)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos