IPI menor evitou que IPCA fechasse 2012 acima de 6%

A redução no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ajudou a impedir que a inflação oficial fechasse 2012 acima de 6%. O benefício resultou em queda nos preços dos automóveis novos no ano, que derrubaram também os valores dos automóveis usados. Juntos, os automóveis foram responsáveis por uma contribuição de -0,39 ponto porcentual na taxa do IPCA de 2012, que fechou o ano em 5,84%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os artigos de residência, que incluem eletrodomésticos também beneficiados pela redução de imposto, terminaram 2012 com variação de apenas 0,84%, o que também foi uma contribuição para um IPCA menor. "O efeito (da redução) do IPI é mais evidenciado nos automóveis, porque, no caso dos eletrodomésticos, tem também uma tendência de queda nos preços pela questão da tecnologia. Nos automóveis, (a queda) é mais palpável, porque você tem redução no IPI dos automóveis novos em si, que tem reflexo nos (preços dos) usados", explicou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

Dentro de artigos de residência, o preço do refrigerador caiu 2,28% no ano, enquanto a televisão ficou 13,25% mais barata, e o valor do microcomputador teve redução de 5,17%. Pesaram também no IPCA mais baixo em 2012 ante 2011 os aumentos menores na tarifa de ônibus urbano e energia elétrica. "Em 2012, três regiões não aumentaram (a tarifa de) ônibus: São Paulo, Fortaleza e Brasília", citou Eulina.

Carregando...