Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.242,88
    +1.044,55 (+2,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

iPhone SE (2020) vs iPhone 11 | Qual vale a pena comprar?

·9 min de leitura

O novo iPhone SE chamou bastante atenção em 2020 ao trazer o hardware do até então topo de linha iPhone 11 em uma roupagem meio nostálgica, do antigo iPhone 8. Seu preço também foi outro atrativo, embora não dê para chamar de "barato", sendo até o momento o iPhone mais acessível da Maçã — no site oficial da Apple, a diferença de preço para o iPhone 11 é R$ 1.300 no modelo mais básico, de 64 GB.

Mas, afinal, o que justifica esse aumento tão grande no preço? Além do chipset, em quais outros quesitos o iPhone SE (2020) se assemelha ao iPhone 11? Vale a pena pagar menos por um visual antigo? Eu coloquei os dois aparelhos lado a lado para responder a essas e outras perguntas!

Review completo do iPhone SE (2020)

Review completo do iPhone 11

Construção e design

O design é talvez o principal fator para escolher entre o iPhone SE (2020) e o iPhone 11. Enquanto, no primeiro, a Apple optou por reaproveitar o corpo do iPhone 8 — tão fielmente que você consegue usar até a capa do modelo antigo no aparelho mais novo —, no segundo temos um visual bem mais atual, com poucas bordas, 'notch' grande para câmera frontal e Face ID.

Em razão da aparência mais nova, o iPhone 11 tem dimensões bem maiores que o irmão, sendo mais espesso, alto e difícil de segurar com apenas uma mão. Já o novo iPhone SE pode agradar quem tem mãos pequenas e não se importa muito com bordas grandes, pois sua tela de 4,7 polegadas é bastante confortável de manusear.

iPhone 11 tem uma aparência bem mais atual que o iPhone SE (2020) (Imagem: Ivo/Canaltech)
iPhone 11 tem uma aparência bem mais atual que o iPhone SE (2020) (Imagem: Ivo/Canaltech)

Uma semelhança dos dois aparelhos é o suporte a carregamento sem fio e pagamentos por aproximação.

No mais, ambos são construídos em vidro e alumínio, trazendo, inclusive, resistência a água e poeira. Por ser mais caro, o iPhone 11 tem IP68, podendo ser submerso em água doce até dois metros de profundidade por até 30 minutos, enquanto o iPhone SE (2020) aguenta até um metro, cortesia do padrão IP67.

Vale lembrar aqui que a contagem desses 30 minutos é o acumulado de todas as vezes em que o aparelho foi exposto à água. Ou seja, o celular não aguenta ficar 30 minutos imerso em líquido a cada ocasião, mas sim 30 minutos em toda a sua vida útil.

O iPhone SE (2020) é um aparelho bonito, mas pode parecer antiquado devido às bordas grandes (Imagem: Ivo/Canaltech)
O iPhone SE (2020) é um aparelho bonito, mas pode parecer antiquado devido às bordas grandes (Imagem: Ivo/Canaltech)

Tela

Como comentei no tópico anterior, o iPhone SE (2020) é bem mais compacto que o iPhone 11 e pode ser uma boa opção para quem procura um iPhone pequeno e não pode gastar muito nos iPhone 12 mini e 13 mini. Ele tem uma tela LCD de 4,7 polegadas, dimensão que não vemos em outros modelos há bastante tempo, contra 6,1 polegadas do seu irmão.

Apesar de o tamanho ser bem diferente entre os dois modelos, seus aspectos são bastante semelhantes, ou seja, a qualidade de imagem não muda muito. Ambos têm painel IPS, que oferece boa fidelidade e ampla tonalidade de cores, ótimo ângulo de visão, tecnologia True Tone, pico de brilho de 625 nits e 326 ppi (densidade de pixels). Além disso, nenhum dos iPhones contam com altas taxas de atualização.

Tela do iPhone SE (2020) é menor que a do iPhone 12 mini (Imagem: Ivo/Canaltech)
Tela do iPhone SE (2020) é menor que a do iPhone 12 mini (Imagem: Ivo/Canaltech)

A maior diferença, além do tamanho, é o aproveitamento frontal, já que a proporção widescreen do iPhone SE (2020) resulta em bordas grossas, enquanto o iPhone 11 tem a parte da frente toda coberta pelo display. Na prática, a preferência vai de cada um: mais tela e aproveitamento ou menos tela e mais praticidade.

O display do iPhone 11 tem 6,1 polegadas (Imagem: Ivo/Canaltech)
O display do iPhone 11 tem 6,1 polegadas (Imagem: Ivo/Canaltech)

Configurações e desempenho

Internamente, tanto o iPhone SE (2020) quanto o iPhone 11 são equipados com o poderoso chipset A13 Bionic. O modelo tem uma CPU de seis núcleos, quatro de eficiência e dois de desempenho, com GPU quad-core e Neural Engine de oito núcleos. A única diferença é a quantidade de RAM, já que o aparelho mais “acessível” tem apenas 3 GB, contra 4 GB do mais caro.

Na prática, essa diferença de memória não deve ser tão perceptiva, mas é possível que, em alguns anos, o iPhone SE (2020) perca fôlego mais rápido em tarefas mais pesadas, como as de realidade aumentada. Com relação ao armazenamento interno, os dois são vendidos com opções de 64 GB ou 128 GB, sem expansão via cartão de memória.

Chipset A13 Bionic ainda é um dos mais potentes do mercado (Imagem: Ivo/Canaltech)
Chipset A13 Bionic ainda é um dos mais potentes do mercado (Imagem: Ivo/Canaltech)

Quando o assunto é atualização, pode ficar tranquilo que o iPhone SE (2020) e o iPhone 11 devem receber upgrades do iOS por mais uns três anos, segundo o histórico de atualizações da Apple. Ambos já ganharam o recém-disponibilizado iOS 15.

Câmeras

Se nas configurações os dois iPhones não diferem muito, na fotografia as diferenças ficam mais visíveis. A começar pelo número de câmeras, já que o iPhone SE (2020) traz apenas uma principal de 12 MP, enquanto o iPhone 11 é equipado com duas, uma principal e outra ultra-wide, ambas de 12 MP.

No geral, a qualidade das imagens dos dois é bastante parecida, muito disso graças ao chipset A13 Bionic. Isso quer dizer que os dois têm estabilização óptica de imagem (OIS), modo retrato com efeito bokeh avançado, controle de profundidade, iluminação de retrato com seis efeitos e a nova geração do Smart HDR.

Aonde o iPhone SE (2020) fica devendo é no Deep Fusion, recurso que chegou com os iPhone 11 e promete reduzir bastante os ruídos das imagens ao combinar diversas fotos em uma única imagem. O modo Noite do iPhone 11 também é mais eficiente, embora o presente do modelo mais barato não decepcione.

O iPhone SE (2020) tem apenas uma câmera, mas ela filma em 4K a 60 fps e traz modo retrato (Imagem: Ivo/Canaltech)
O iPhone SE (2020) tem apenas uma câmera, mas ela filma em 4K a 60 fps e traz modo retrato (Imagem: Ivo/Canaltech)

No quesito vídeo, os dois gravam em até 4K/60 fps com estabilização óptica de imagem e zoom digital de até 3x. QuickTake de vídeo, vídeo em câmera lenta de 1080p a 120 qps ou 240 qps também estão presentes, assim como vídeo em time-lapse com estabilização. O iPhone 11 leva uma vantagem apenas no suporte ao Zoom de áudio, que, a grosso modo, serve para amplificar o som do que você está apontando ao filmar.

Na câmera frontal, o iPhone 11 se destaca pelo suporte a gravações em 4K/60 fps com estabilização. Além disso, seu sensor de 12 MP faz fotos com o novo Smart HDR da Apple, além de ser compatível com vídeo em câmera lenta de 1080p a 120 qps, e Animoji/Memoji. O iPhone SE (2020), por sua vez, grava em até 1080p/30 fps com HDR automático.

Bateria

Caso você priorize autonomia de bateria, o iPhone SE (2020) pode não ser uma opção. Ele tem apenas 1.821 mAh, capacidade muito abaixo de outros smartphones. A Apple diz que o aparelho suporta até 13 horas de reprodução de vídeo, até oito horas de streaming de vídeo ou até 40 horas de reprodução de áudio. Na prática, pode ser que você tenha que diminuir o uso para chegar ao final do dia com carga, por exemplo.

A bateria do iPhone 11 é bem superior ao do iPhone SE (2020) (Imagem: Ivo/Canaltech)
A bateria do iPhone 11 é bem superior ao do iPhone SE (2020) (Imagem: Ivo/Canaltech)

O iPhone 11 é bem melhor no quesito bateria. São 3.110 mAh que, segundo a Apple, suportam até 17 horas de reprodução de vídeo, até 10 horas de streaming de vídeo ou até 65 horas de reprodução de áudio.

Um ponto positivo dos dois iPhones é o suporte a carregamento rápido, podendo recuperar até 50% de carga em 30 minutos usando um carregador de 20 W ou superior. Vale mencionar que você precisará comprar o acessório separadamente, pois a Apple não o envia na caixa.

iPhone SE (2020) vs iPhone 11: ficha técnica

iPhone SE (2020)

iPhone 11

Dimensões e peso

138,4 x 67,3 x 7,3 mm

148 gramas

150,9 x 75,7 x 8,3 mm

194 gramas

Tela

IPS LCD 4,7", 1.334 x 750 pixels, 326 ppi

IPS LCD 6,1", 1.792 x 828 pixels, 326 ppi

Chipset

A13 Bionic

A13 Bionic

RAM e armazenamento

3 GB/64 GB, 3 GB/128 GB

4 GB/64 GB, 4 GB/128 GB

Câmera

12 MP

12 MP + 12 MP

Bateria

1.821 mAh

3.110 mAh

Recursos extras

4G, Wi-Fi 6, NFC, Bluetooth 5.0, Touch ID

4G, Wi-Fi 6, NFC, Bluetooth 5.0, Face ID

Preço

A partir de R$ 3.699

A partir de R$ 4.999

Qual vale a pena comprar?

O iPhone SE (2020) é atualmente o único iPhone que você consegue encontrar no varejo custando menos de R$ 3.000. O preço mais baixo, obviamente, se justifica em alguns downgrades, como a construção reaproveitada do iPhone 8, apenas uma câmera traseira, tela com bordas gigantes, baixa autonomia de bateria e ausência de recursos mais atuais, como o Face ID.

Ainda assim, para quem procura entrar no ecossistema da Apple e não tem um orçamento muito grande — além de não se importar com as inferioridades citadas acima —, o aparelho é, sim, um bom modelo de iPhone, com fôlego para alguns anos de utilização antes de começar a sofrer com tarefas do dia a dia. Além disso, você levará para casa um iPhone bastante compacto.

Atualmente, o iPhone SE (2020) pode ser encontrado em varejistas brasileiros por cerca de R$ 2.800 na versão com 64 GB, mas já pude encontrá-lo em algumas promoções custando ótimos R$ 2.500 — na Black Friday, pode ser que chegue a esse valor.

Com relação ao iPhone 11, temos um dos melhores "custo-benefício" do portfólio da Apple. Caso você o encontre por menos de R$ 3.500 durante o período da Black Friday, não exite em considerá-lo se você estiver saindo de um iPhone mais antigo e tiver um orçamento mais amplo. A tela maior, o visual mais atual, as duas câmeras traseiras, a bateria mais generosa e a promessa de iOS atualizado justificam a diferença de preço em relação ao iPhone SE (2020).

E aí, qual dos dois iPhones mais te interessou? Independentemente da sua escolha, recomendo ficar atento no Canaltech Ofertas no Telegram e no WhatsApp, pois selecionamos sempre as melhores promoções para você aproveitar!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos