Mercado fechado

iPhone 14 Pro surge em teste com desempenho abaixo do iPhone 13 Pro

Menos de um dia após o grande evento de anúncio da Apple, o A16 Bionic, novo chipset da companhia que equipa o iPhone 14 Pro e 14 Pro Max, já foi encontrado no banco de dados do Geekbench 5, popular benchmark que avalia o poder da CPU de diferentes processadores. As notícias não são positivas nesse primeiro momento — apesar das promessas da gigante, a novidade mostra-se ligeiramente inferior ao antecessor, o A15 Bionic.

Presente em um "iPhone 15,3", codinome provisório até o lançamento oficial dos novos celulares, o processador conta com CPU de 6 núcleos, sendo 2 de alta performance e 4 de alta eficiência, rodando a velocidades bastante elevadas de até 3,46 GHz, 230 MHz a mais em comparação à geração anterior. A combinação foi capaz de atingir 1.879 pontos em single-core e 4.664 pontos em multi-core, aumento tímido no primeiro caso, e uma perda no segundo.

O primeiro teste do A16 Bionic mostra um ganho singelo de 8% em single-core e uma perda de 3% em multi-core (Imagem: Geekbench)
O primeiro teste do A16 Bionic mostra um ganho singelo de 8% em single-core e uma perda de 3% em multi-core (Imagem: Geekbench)

Em comparação, a média de resultados de um iPhone 13 Pro Max com a versão mais robusta do A15 Bionic atinge 1.728 pontos com um núcleo e 4.790 pontos utilizando todos os núcleos, o que representa um ganho de 8% em single-core e queda de 3% em multi-core para o chip anunciado nesta semana. Conforme teoriza o YouTube Golden Reviewer, é provável que isso seja resultado de gargalos, possivelmente por aquecimento.

Dito isso, é importante salientar que o teste em questão avalia apenas o poder da CPU, enquanto aspectos como memória, gráficos e Inteligência Artificial não são cobertos. Também é possível que os resultados vejam uma melhoria, mesmo que modesta, até o início das vendas. Por fim, este é apenas um resultado, sendo necessário avaliar múltiplos números para se chegar a uma conclusão confiável.

O ideal é aguardar pelos reviews da mídia especializada, mas, a princípio, o A16 Bionic não parece entregar uma evolução significativa, ainda que mantenha com folga a liderança de performance no mercado de smartphones, especialmente frente às soluções disponíveis no mundo Android.

A16 Bionic seria 40% superior aos concorrentes

Além de ganhos em CPU — que curiosamente não chegou a ser comparada com o A15 Bionic durante a apresentação — a Apple promete desempenho ímpar em gráficos e IA graças à GPU de 5 núcleos e à Neural Engine de 16 núcleos, mesmas especificações da geração passada. A companhia garante que o A16 Bionic é o chipset para smartphones mais poderoso do mundo, sendo extremamente eficiente.

Segundo a Apple, o A16 Bionic seria 40% superior à concorrência consumindo muito menos energia (Imagem: Apple)
Segundo a Apple, o A16 Bionic seria 40% superior à concorrência consumindo muito menos energia (Imagem: Apple)

Segundo o anúncio, a plataforma entregaria "40% mais desempenho que concorrentes", enquanto o consumiria o equivalente a "1/3 do que o núcleo de eficiência da concorrência consome". Ganhos de 50% em largura de banda para a GPU também são destacados. Os números não são totalmente precisos, já que não há detalhes específicos de quais rivais e de qual núcleo a fabricante se referia. Mais uma vez, é preciso aguardar pelos reviews.

O iPhone 14 Pro e o iPhone 14 Pro Max entram em pré-venda no exterior já nesta sexta-feira, 9 de setembro, com disponibilidade prevista para 16 de setembro e preços que partem dos US$ 999 (~R$ 5.250). Apesar dos conflitos com o Ministério da Justiça em relação à presença de carregadores na caixa, ambos já possuem preços brasileiros — a partir de R$ 9.499 para o 14 Pro, e a partir de R$ 10.499 para o 14 Pro Max — mas não há detalhes de disponibilidade por aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: