Mercado abrirá em 7 h 33 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,43
    -1,07 (-1,36%)
     
  • OURO

    1.631,30
    -4,90 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    18.727,98
    -1.263,07 (-6,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    428,61
    -30,53 (-6,65%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.396,66
    -463,65 (-2,60%)
     
  • NIKKEI

    25.993,42
    -578,45 (-2,18%)
     
  • NASDAQ

    11.213,75
    -120,00 (-1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    -0,0199 (-0,39%)
     

iPhone 14 | Golpe promete descontos de pré-venda para roubar cartões e senhas

O tão esperado iPhone 14 deve ser anunciado apenas nesta quarta-feira (7) em um evento oficial da Apple, mas já está sendo usado desde o final de agosto como isca pelos bandidos. A partir de mais de nove mil sites fraudulentos, os criminosos estão de olho em dados de cartões de crédito e credenciais de acesso aos serviços da Maçã.

Trata-se de uma alternativa de golpe conhecido, mas com novas artimanhas, conforme relatado pela empresa de segurança digital Kaspersky. A tentativa de fraudar informações de pagamento costuma ser comum, mas agora aparece acompanhada da possibilidade de intrusão da conta que, no caso da Apple, pode dar acesso a fotos, dados pessoais, compras na App Store e até vazamento de informações confidenciais ou sensíveis.

Ao realizarem a investida, os criminosos pedem informações de cartão de crédito para que a encomenda do celular possa ser realizada e, também, a Apple ID do cliente. Uma página que simula a aparência do domínio real da Maçã chega a ser exibida, dando maior aparência de legitimidade ao golpe, enquanto informações falsas de verificação indicam que tudo deu certo — no caso, para os criminosos, que passam a ter acesso a todos os dados do usuário e ainda geram prejuízo a ele, que fica sem celular e sob risco de vazamento, extorsão e fraude.

<em>Página falsa, que simula aparência de domínio da Apple, é usada para roubar credenciais de usuários que caem em golpe do iPhone 14 (Imagem: Divulgação/Kaspersky)</em>
Página falsa, que simula aparência de domínio da Apple, é usada para roubar credenciais de usuários que caem em golpe do iPhone 14 (Imagem: Divulgação/Kaspersky)

O total de páginas falsas foi detectado em apenas 15 dias e mostram, também, um interesse maior no iPhone 14 em relação a outros produtos de consumo bastante procurados. Apenas em 25 de agosto, por exemplo, foram 1.023 páginas falsas registradas usando termos relacionados ao novo smartphone, o dobro da média diária de detecções registrada em um período que, por si só, já mostrava aceleração.

Segundo Fabio Assolini, chefe da equipe global de pesquisa e análise da Kaspersky para a América Latina, um golpe semelhante também foi detectado no final de 2020, na aproximação do lançamento do PlayStation 5, assim como na chegada de filmes como Viúva-Negra e Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa. Em todos, a desatenção do usuário é a principal arma, enquanto a promessa de acesso antecipado ou valores menores servem como isca.

Dicas para evitar o golpe do iPhone 14

A atenção é a principal recomendação dos especialistas para não cair em fraudes desse tipo. Antes de realizarem uma compra, os usuários devem sempre observar se o site acessado é legítimo, com domínio correspondente ao oficial. Erros de ortografia, problemas de visualização e falhas de carregamento podem ser indicativos de que há algum problema.

Além disso, um pouco de pesquisa pode ajudar a detectar fraudes assim. Neste caso específico, não há pré-venda disponível para o iPhone 14 uma vez que o smartphone somente será apresentado nesta semana, com as encomendas vindo depois; qualquer oferta contrária, principalmente se envolver valores mais baixos que os oficiais da Apple, é um provável golpe.

Desconfiar de links que cheguem por e-mail, mensageiros instantâneos ou redes sociais também é um bom caminho para segurança. Evite clicar, baixar aplicativos ou entregar informações em sites desse tipo, mesmo que eles tenham sido enviados por contatos conhecidos. Na dúvida, procure páginas oficiais e serviços legítimos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: