Mercado fechado

IPCA-15 sobe 0,14% em novembro, menor taxa para o mês desde 1998

Bruno Villas Bôas

Taxa ficou acima daquela apurada em outubro, mas acabou inferior à expectativa coletada pelo Valor Data com 35 instituições financeiras O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia da inflação oficial do país, aumentou 0,14% em novembro, após subir 0,09% um mês antes, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do menor resultado para o mês desde 1998, quando o índice cedeu 0,11%.

A leitura de novembro ficou abaixo da mediana de 0,17% das estimativas de 35 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data. O intervalo das projeções ia de avanço de 0,07% a 0,31%.

Faltando a leitura de apenas um mês para o fechamento do ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,83% em 2019. Em 12 meses, houve alta de 2,67%.

Desta forma, o IPCA-15 acumulado em 12 meses segue abaixo do piso da meta de inflação, de 2,75% neste ano — o centro da meta é de 4,25%, com intervalo de tolerância é de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos. A meta de inflação é balizada, contudo, pelo IPCA “cheio” do mês.

Em novembro, a inflação medida pelo IPCA-15 se espalhou mais pelo produtos e serviços que compõem o indicador - o índice de difusão, que mede a proporção de itens que tiveram elevação de preços no mês subiu para 59,2%, após 53,4% em outubro. Sem considerar os alimentos (itens mais voláteis), a difusão subiu a 57,3%, ante 53,1% em outubro.