IPC-S: seis das capitais pesquisadas desaceleram na primeira semana de fevereiro

SÃO PAULO – Seis das sete capitais analisadas pela FGV (Fundação Getulio Vargas) registraram desaceleração em suas taxas de variação na primeira semana de fevereiro de 2013, conforme mostra o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal), divulgado nesta sexta-feira (8).

Entre a semana encerrada no dia 31 de janeiro e a terminada no dia 07 de fevereiro, os preços dos produtos e serviços desaceleraram mais em Belo Horizonte, ao passar de 1,29% para 1,01%, uma diferença de 0,28 ponto percentual.

Em relação à inflação geral, que foi de 0,88% na semana, ante 1,01% na semana anterior, as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre ficaram acima da média nacional, como mostra a tabela a seguir:

Capital   Variação em 31/01/2013 
   Variação em 07/02/2013   
Belo Horizonte 1,29% 1,01%
Brasília 1,27% 1,03%
Porto Alegre 0,92% 0,93%
Recife 1,17% 0,92%
Rio de Janeiro 0,88% 0,75%
Salvador 0,93% 0,87%
São Paulo 0,98% 0,86%

São Paulo
As maiores influências para a desaceleração de 0,12 ponto percentual da inflação na capital paulista na semana vieram dos itens cursos formais (8,43% para 5,88%), tarifa de eletricidade residencial (-4,44% para -8,22%), frutas (3,78% para 1,61%) e calçados (-0,10% para -0,80%).

Dos grupos de produtos e serviços analisados pela FGV, quatro registraram resultados menores em suas taxas de variação: Educação, Leitura e Recreação (de 4,59% para 3,20%), Habitação (de -0,18% para -0,52%), Alimentação (de 1,68% para 1,55%) e Vestuário (de -0,02% para -0,12%) .

Já os grupos Transportes (0,23% para 0,55%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,37% para 0,48%) e Despesas Diversas (5,91% para 6,01%) apresentaram movimento contrário no período, enquanto que Comunicação (0,00%) ficou estável.

Rio de Janeiro
Na capital fluminense, dos oito grupos analisados, quatro apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, contribuindo para o recuo de 0,13 ponto percentual apurado na inflação da semana, em relação à medição anterior, são eles: Habitação (de -0,33% para -0,77%), Vestuário (de 0,05% para -0,22%), Educação, Leitura e Recreação (de 4,76% para 3,65%) e Despesas Diversas (de 1,86% para 1,39%).

Os grupos Alimentação (de 2,46% para 2,48%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,42% para 0,48%), Transportes (de -0,59% para -0,25%) apresentaram resultados maiores em suas taxas de variação. Comunicação (0,00%) repetiu o resultado da medição anterior.

Carregando...