IPC de outubro é a maior taxa mensal desde 2011

A inflação de 0,80% divulgada neta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para outubro representou a maior taxa mensal para a capital paulista desde janeiro de 2011, quando o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) atingiu o nível de 1,15%. O resultado, que veio idêntico à mais recente projeção do instituto para o décimo mês do ano atual, levou o indicador para uma taxa acumulada de 3,59% em 2012. No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em outubro, o IPC alcançou a marca de 4,85%, superior à de 4,41% do período de 12 meses terminado em setembro.

Em outubro de 2012, o grupo Alimentação foi o principal responsável pela inflação elevada, com uma alta de 2,04%, que representou 57,84% de todo o IPC. O avanço do grupo foi mais expressivo do que o de 1,74% de setembro, quando o impacto na inflação paulistana havia sido ainda mais forte, de 72,31%.

Entre os grupos pesquisados pela Fipe o de Educação ainda é o de maior destaque de 2012, com alta acumulada de 8,05% entre janeiro e outubro, bem acima da média da inflação geral do período. O grupo Alimentação vem logo atrás, com variação positiva de 7,81%, seguido por Despesas Pessoais (5,99%) e Saúde (5,16%).

Na sequência, aparecem os grupos Habitação e Vestuário, com altas acumuladas de 1,38% e de 1,07%, respectivamente, em 2012. O único conjunto de preços que destoa dos demais entre janeiro a outubro é o de Transportes, que apresentou queda de 0,21% no período.

Carregando...