Mercado abrirá em 6 hs
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,49
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.754,50
    +4,70 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    44.172,51
    -143,99 (-0,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.101,85
    -7,08 (-0,64%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.389,59
    -121,39 (-0,50%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.266,25
    -37,25 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2224
    -0,0026 (-0,04%)
     

iOS 15 agora também limita a exibição de propagandas em apps da Apple

·2 minuto de leitura

O iOS tem uma política bem rígida quanto ao encaminhamento de propagandas personalizadas — o usuário pode até receber, mas ele deve consentir no momento da inicialização do app. A Apple defendeu que até seus aplicativos seriam afetados pelas normas do App Tracking Transparency (ATT), mas só recentemente começou lançar solicitações para ligar anúncios aos usuários do iOS 15.

Até o momento, publicidade personalizada de apps da Maçã é habilitada por padrão nesses dispositivos, como apontou o site 9to5Mac. Para desabilitar os anúncios especiais (e, por consequência, o monitoramento), o usuário precisava navegar dentro do menu de Configurações até encontrar opções sobre propaganda bem escondidas.

A decisão teria custado caro à Apple, já que outras companhias notaram os privilégios dados aos apps do ecossistema da casa. Ao mesmo tempo que aplicativos de terceiros precisam solicitar e torcer para que o usuário ache válido compartilhar os próprios dados, a Apple não fazia isso com seus programas — essa vantagem, obviamente, foi parar na justiça.

Propagandas direcionadas na App Store tomam como base os downloads do usuário (Imagem: Reprodução/9to5Mac)
Propagandas direcionadas na App Store tomam como base os downloads do usuário (Imagem: Reprodução/9to5Mac)

Em março deste ano, foi na França que a Apple teve que encarar uma das acusações sobre a prática. “A Apple reserva-se o direito de escolher quem é ‘parceiro’ e quem é ‘terceiro’ de forma arbitrária, característica que pode mudar com o tempo, sem que o usuário seja informado da mudança”, alega a denúncia da France Digitale, representante de um grupo de startups do país.

Melhor prevenir do que remediar

O envio da solicitação para encaminhar propagandas personalizadas, portanto, pode ser uma forma de prevenir imbróglios mais sérios. A medida pode não ter sido rápida o suficiente, então ainda há a chance de a fabricante ser levada aos tribunais.

Para complementar, a App Store do iOS 15 agora está recheada de links informativos sobre as “recomendações personalizadas” — também baseadas nos hábitos dos usuários e seus downloads. Se o usuário aceita ou recusa a publicidade direcionada, ele pode reajustar as configurações a partir do menu de Configurações.

Por enquanto, o iOS 15 não tem data de lançamento, mas sua estreia em versão final está bem próxima de acontecer, já que é prevista para setembro ou outubro deste ano.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos