Mercado abrirá em 5 h 10 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,83
    +0,55 (+0,84%)
     
  • OURO

    1.834,80
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    57.002,11
    +1.460,82 (+2,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.543,41
    +1.300,73 (+535,99%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.992,13
    +44,14 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.169,43
    +155,62 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.300,00
    -46,00 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3379
    -0,0075 (-0,12%)
     

Investidores enfrentam decisão ‘tudo ou nada’ sobre inflação

Emily Barrett
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O veterano do mercado de títulos Greg Wilensky viu a euforia sobre o avanço da inflação esfriar muitas vezes para se deixar levar pela grande aposta de reflação deste ano.

“Tenho administrado carteiras de títulos há 25 anos, ao longo de programas monetários muito grandes, grandes déficits e o Fed tentando aumentar as expectativas de inflação”, disse o gestor da Janus Henderson em entrevista. “Por mais que eu possa ver razões legítimas para que isso aconteça desta vez, eu poderia ter dito isso muitas vezes nos últimos 12 anos também.”

O ceticismo de Wilensky resume o menor entusiasmo de investidores por apostas vinculadas a uma rápida recuperação econômica e preços mais altos. Negociações que favorecem ações de valor sensíveis aos ciclos econômicos, curvas de juros mais inclinadas e recuperação das commodities perderam força após um forte primeiro trimestre.

O índice MSCI AC World Value está abaixo do indicador de crescimento em cerca de 6 pontos percentuais desde 8 de março. Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA de referência recuaram cerca de 13 pontos-base já neste trimestre, mesmo com dados de inflação dos EUA que começam a superar as expectativas. E o forte leilão de Treasuries de 30 anos na terça-feira sugeriu que a demanda está voltando até mesmo para títulos mais expostos à taxa de juros.

Uma das maiores questões que gestores enfrentam agora é se a recuperação impulsionada por estímulos no crescimento e na inflação - em particular nos EUA - pode migrar para uma expansão sustentável que continuará a elevar as ações e os rendimentos dos títulos. O Fundo Monetário Internacional recentemente atualizou sua previsão de crescimento global para 2021 para o ritmo mais forte em quatro décadas, mas a perspectiva depois disso é menos clara.

Prever uma trajetória para os níveis de preços além deste ano é ainda mais difícil para os investidores, dado o efeito de distorção das paralisações do coronavírus, gargalos temporários de oferta e efeitos da desinflação do ano passado.

“Inflação e juros, especialmente como investidor em títulos agora, é a decisão que você deve fazer”, disse Elaine Stokes, gestora de renda fixa da Loomis Sayles. “É a decisão do tudo ou nada do ano.”

A resposta ao impasse para muitos investidores foi reduzir algumas apostas voltadas para o estágio mais agudo da recuperação econômica. Vishal Khanduja, gestor de fundos de renda fixa da Eaton Vance Management, reduziu pela metade a posição overweight de sua carteira em títulos indexados à inflação dos EUA desde o início do ano.

“As expectativas de inflação estavam deslocadas em 2020” em uma “recessão cirúrgica”, disse Khanduja.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.