Mercado fechará em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    111.527,07
    -2.285,80 (-2,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.535,92
    -193,88 (-0,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,30
    +0,80 (+0,88%)
     
  • OURO

    1.762,90
    -8,30 (-0,47%)
     
  • BTC-USD

    21.531,81
    -1.865,57 (-7,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    512,37
    -29,23 (-5,40%)
     
  • S&P500

    4.234,42
    -49,32 (-1,15%)
     
  • DOW JONES

    33.777,08
    -221,96 (-0,65%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,77 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.288,25
    -235,00 (-1,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2075
    -0,0063 (-0,12%)
     

Investidores consideram apostas em corte de juros de emergentes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Investidores repensam a principal estratégia para mercados emergentes no início do ano: apostar no aumento de juros de curto prazo à medida que a disparada da inflação forçava bancos centrais a agir.

Com os mercados financeiros globais se voltando para como tirar proveito de um ambiente recessivo, gestores dizem que o mundo em desenvolvimento oferece algumas das melhores oportunidades para lucrar com a queda dos rendimentos de títulos. Parte do atrativo é porque as moedas dos mercados emergentes foram castigadas por um fortalecimento do dólar, que começou a se enfraquecer em meio a sinais de desaceleração econômica.

No primeiro semestre, o posicionamento predominante se concentrou em aumentos de juros em meio a expectativas de que os bancos centrais seriam mais agressivos diante da política de aperto monetário do Federal Reserve e inflação crescente. Agora, os investidores estão começando a ver valor nas apostas de que as economias em desenvolvimento terão que começar a cortar juros para evitar uma recessão.

“Há muito prêmio de risco nas curvas de emergentes”, disse. Jens Nystedt, gestor sênior da Emso Asset Management em Nova York. “É o pico da inflação e uma desaceleração global, mas acima de tudo, o prêmio de risco excessivo. O México se destaca junto com a Europa Central e possivelmente a África do Sul.”

O JPMorgan está gradualmente deixando apostas que lucram com o aumento das taxas de juros em países emergentes da Ásia, como Malásia e Coreia do Sul, bem como no Brasil.

Investidores em todo o mundo consideram assumir mais riscos com juros, com base na visão de que os títulos foram atingidos com força suficiente e que as taxas de prazo mais longo têm espaço para cair. Os mercados emergentes ofereceriam uma vantagem extra, que é o prêmio de risco alto nas curvas de títulos e taxas.

“A caminho de recessões ou desaceleração do crescimento global, geralmente as taxas locais são a classe de ativos macro de emergentes com melhor desempenho, e de fato vimos isso claramente no acumulado do ano” disse Davide Crosilla, estrategista do Goldman Sachs.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos