Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    -0,13 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    38.912,29
    +2.853,08 (+7,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Investidor perdeu R$ 105 bilhões em dois dias

·2 minuto de leitura
Nota de dólar. (Foto: Getty Images)
Nota de dólar. (Foto: Getty Images)
  • Reportagem revela como investidor perdeu R$ 105 bilhões em apenas dois dias.

  • Bill Hwang era o chefe do banco de investimentos Archegos.

  • Entre as ações em que ele investia estavam conglomerados de mídia, como Discovery e a ViacomCBS.

Uma nova reportagem da agência de notícias Bloomberg revela detalhes do desmoronamento do império do investidor Bill Hwang e sua empresa de investimentos Archegos, em março deste ano. Segundo a reportagem, Hwang perdeu cerca de R$ 105 bilhões em apenas dois dias de movimentações financeiras mal-sucedidas.

Leia também:

O texto da Bloomberg explica que Hwang era uma “baleia” de Wall Street – nome de investidores que por conta de seu grande porte dominam o mercado. Ele fazia investimentos em ações a partir do dinheiro emprestado de outras instituições financeiras, como o Credit Suisse.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Entre as ações em que ele investia estavam conglomerados de mídia, como Discovery e a ViacomCBS, que nos últimos anos levantava dinheiro para o investimento em serviços de streaming para bater com outros gigantes como Netflix e Disney.

Hwang fazia isso por meio dos chamados “swaps” – um tipo de derivativo, produto financeiro que permite um investidor ganhar exposição a determinado ativo sem necessariamente adquiri-lo. A prática não é ilegal, e nenhum dos investimentos do Archegos estava fora da lei, segundo a Bloomberg.

Ocorre que, a partir de 22 de março, foi iniciada uma série de vendas das ações onde o Archegos apostava, a partir de uma venda de cerca de US$ 3 bilhões da Viacom, que disparou um efeito dominó: em dois dias, evaporaram R$ 105 bilhões somente da fortuna pessoal de Bill Hwang.

Mas não foi só. Estima-se que o Credit Suisse, uma das instituições que emprestavam dinheiro para que Hwang fizesse suas apostas, tenha perdido mais de US$4,7 bilhões.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube