Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.945,41
    +2.115,68 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.745,66
    -589,85 (-1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,32
    +1,18 (+1,53%)
     
  • OURO

    1.889,30
    +4,50 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    22.894,41
    -170,05 (-0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    527,64
    -9,25 (-1,72%)
     
  • S&P500

    4.124,37
    -39,63 (-0,95%)
     
  • DOW JONES

    33.996,17
    -160,52 (-0,47%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.580,25
    -196,50 (-1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5692
    -0,0079 (-0,14%)
     

Inundações custarão R$ 76 bilhões para empresas nos EUA em 2022

Cerca de 730.000 lojas, escritórios e edifícios residenciais podem ser atingidos por inundações no próximo ano (Katie Turner/via REUTERS)
Cerca de 730.000 lojas, escritórios e edifícios residenciais podem ser atingidos por inundações no próximo ano (Katie Turner/via REUTERS)
  • Efeitos climáticos têm influencia direta nesses gastos

  • Custos para prevenção devem aumentar até 2052 segundo projeção

  • Estimativa é que os danos causados pelas enchentes aumente consideravelmente

A drástica mudança climática não traz efeitos negativos apenas aos países emergentes, em desenvolvimento. Nos Estados Unidos, por exemplo, as empresas poderão ter de enfrentar custos coletivos de mais de R$ 76 bilhões (US$ 13,5 bi) em 2022, associados aos danos causados ​​pelas enchentes. Isso porque cerca de 730 mil lojas, escritórios e edifícios residenciais podem ser atingidos por inundações no próximo ano.

De acordo com um novo estudo da First Street Foundation - um grupo de pesquisa e tecnologia sem fins lucrativos que se concentra no risco climático -, a tendência é isso ficar cada vez maior, à medida que a mudança climática exacerba a gravidade das tempestades e o aumento do nível do mar causa enchentes até mesmo nas cidades do continente.

Leia também:

Gastos devem aumentar

Os danos estruturais das enchentes que devem atingir essas propriedades tendem a aumentar. Se para o próximo ano o valor estipulado é de R$ 76 bilhões, para 2052 - conforme os efeitos do clima severo aumentam, de acordo com as informações disponibilizadas pelo estudo da First Street - os custos devem chegar a cerca de R$ 95 bilhões (US$ 16,9 bi).

“Os negócios precisam de consistência e previsibilidade para planejar, investir e expandir suas operações e permitir que as comunidades prosperem”, disse Matthew Eby, fundador da First Street Foundation e pessoa por trás deste estudo - feito em parceria com a empresa de engenharia comercial Arup.

Aumento de danos pode ser de 30% até 2051

“Estamos demonstrando que as empresas americanas e as economias locais enfrentam muito mais incerteza e imprevisibilidade no que diz respeito ao impacto potencial das enchentes em seus resultados financeiros do que podem imaginar”, acrescentou Eby.

O estudo descobriu que os danos causados ​​por enchentes em edifícios comerciais podem resultar em 3,1 milhões de dias de operação comercial perdida no próximo ano - devido ao tempo de inatividade durante os reparos. Espera-se que isso cresça quase 30%, para mais de quatro milhões de dias por ano até 2051, de acordo com as informações publicadas.

Problemas para a economia

Espera-se que esse tempo de inatividade prejudique as economias locais dos EUA. A perda de produtividade deve custar ao país quase R$ 283 bilhões (US$ 50 bi) no próximo ano e promete crescer 26,5%, para R$ 357 bilhões (US$ 63,1 bi) em 2052 “devido ao agravamento dos riscos de enchentes associados às mudanças climáticas”, de acordo com o estudo.