Mercado fechará em 3 h 24 min
  • BOVESPA

    113.686,53
    +403,86 (+0,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.503,80
    +398,09 (+0,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,35
    +1,37 (+1,85%)
     
  • OURO

    1.754,20
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    43.329,18
    -5,37 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.076,08
    -25,44 (-2,31%)
     
  • S&P500

    4.443,75
    -11,73 (-0,26%)
     
  • DOW JONES

    34.926,65
    +128,65 (+0,37%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.208,78
    +16,62 (+0,07%)
     
  • NIKKEI

    30.240,06
    -8,75 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.165,00
    -153,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2694
    +0,0138 (+0,22%)
     

Interpretar a inflação de forma incorreta pode exigir aumentos de juros "muito disruptivos", diz Bullard

·1 minuto de leitura
Presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard

WASHINGTON (Reuters) - Se o Federal Reserve interpretar mal a força da inflação futura de forma a atrasar o aperto da política monetária pode haver a necessidade de mudanças "muito disruptivas" e rápidas à frente, disse o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, nesta quarta-feira.

Os argumentos a favor de uma abordagem lenta na mudança da política monetária se baseiam nas "consequências da crise financeira global", menos relevante para uma economia com inflação mais alta do que o esperado e provável crescimento rápido do emprego, disse Bullard.

"Podemos realmente ter problemas se nos comprometermos" com uma saída tardia dos juros baixos e dos atuais 120 bilhões de dólares em compras mensais de títulos do Fed, disse ele.

(Por Howard Schneider)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos