Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.831,85
    -3.114,52 (-8,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Interpol prende mais de mil hackers envolvidos em golpes avaliados em R$ 151 milhões

·1 min de leitura
A operação internacional foi realizada em diversos países. Foto: Getty Images.
A operação internacional foi realizada em diversos países. Foto: Getty Images.
  • A Interpol prendeu mais de mil pessoas envolvidas em cibercrimes;

  • A operação, denominada HAEICHI-II, foi realizada em diversos países;

  • Em um dos casos, uma empresa têxtil colombiana sofre um golpe no qual perdeu US$ 16 milhões.

A Organização Internacional de Polícia Criminal, conhecida como Interpol, revelou ter prendido mais de mil pessoas envolvidas em cibercrimes, após realizar a operação HAEICHI-II, que teve a intenção de desvendar crimes virtuais em diversos países, como fraudes, golpes, apostas ilegais e lavagem de dinheiro.

Foram presos cerca de mil criminosos na operação. A polícia congelou mais de 2 mil contas bancárias, bem como interceptou quase US$ 27 milhões, o equivalente a R$ 151 milhões atualmente.

Leia também:

A ação da polícia foi feita de junho a setembro deste ano. Dessa forma, a Interpol conseguiu compreender o modus operandi por trás das ações dos criminosos, descobrindo, ao menos, dez novos formatos de crimes.

A operação internacional foi realizada em diversos países, como China, Índia, Espanha, Japão, Angola, Camboja, Brunei, Colômbia, Indonésia, Laos, Irlanda, Tailândia, Vietnã, Filipinas, Romênia, Cingapura, Eslovênia, Maldivas, Malásia e Coréia..

Para exemplificar os crimes, um caso ocorrido na Colômbia fez uma empresa têxtil sofrer um golpe no qual perdeu US$ 16 milhões em pagamentos divididos e depositados em contas da China.

Se passando por representantes legais, os hackers enganaram a empresa por meio da engenharia social. Como efeito da ação da Interpol, recuperou-se 94% do valor roubado.

Outra tática criminosa foi a distribuição de malware através de apps temáticos de Round 6, a popular série da Netflix.

A primeira versão da operação foi realizada entre setembro de 2020 e março de 2021, com o nome de HAEICHI-I. No período, a Interpol conseguiu recuperar US$ 83 millhões, o equivalente a mais ou menos R$ 464 milhões.

As informações são do Tecmundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos