Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.802,46
    -457,29 (-0,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.186,83
    -520,89 (-1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,52
    -1,33 (-3,34%)
     
  • OURO

    1.904,80
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    12.966,39
    -183,63 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,52
    -4,90 (-1,86%)
     
  • S&P500

    3.393,44
    -71,95 (-2,08%)
     
  • DOW JONES

    27.621,72
    -713,85 (-2,52%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.451,50
    -212,00 (-1,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6353
    -0,0286 (-0,43%)
     

Internet Starlink já é usada por equipes de emergência contra incêndios nos EUA

Daniele Cavalcante
·3 minutos de leitura

A internet via satélites Starlink já está em fase de testes iniciais e demonstrou boa velocidade e baixa latência em um relatório da empresa no início deste mês. O serviço também vem sendo utilizado por equipes de emergência das Forças Armadas do estado de Washington, nos EUA, e o desempenho da conexão parece ter sido bastante satisfatório.

Em um novo relatório publicado nesta terça-feira (29), alguns membros da divisão de resposta a emergências das forças armadas afirmaram que o serviço da Starlink é “incrível”. Richard Hall, chefe de telecomunicações de emergência no Departamento Militar do Estado de Washington, disse que o equipamento “rápido de configurar” e “confiável”.

O serviço começou a ser utilizado por eles no início de agosto, para facilitar o combate aos incêndios florestais que se espalharam pela costa oeste dos Estados Unidos. Eles utilizaram sete terminais de usuário, que são pequenos dispositivos que se conectam aos satélites da constelação Starlink, e tudo parecia bem fácil de instalar e utilizar.

Um dos terminais Starlinks instalado no solo (Imagem: Reprodução/Washington Emergency Management Division)
Um dos terminais Starlinks instalado no solo (Imagem: Reprodução/Washington Emergency Management Division)

De acordo com Hall, o serviço da SpaceX duplicou a largura de banda em relação aos serviços de rede tradicionais, enquanto a latência diminuiu mais de 150%. “Realmente não há comparação”, disse ele, explicando que levou apenas 10 minutos para configurar o terminal. Em comparação, a configuração dos terminais de serviços tradicionais levam em média 30 minutos.

Esses terminais foram instalados em áreas que foram atingidas pelos incêndios, com o intuito de ajudar as famílias evacuadas a obterem ligações sem fio e acesso à internet para registrar reivindicações de seguro. O CEO da SpaceX, Elon Musk, publicou em sua página no Twitter que a empresa está “priorizando equipes de emergência e locais sem conectividade com a Internet”. O estado de Washington teve acesso gratuito aos terminais Starlink, ao menos por enquanto. Futuramente, um novo acordo deve ser firmado.

A SpaceX declarou em julho que está construindo 120 satélites por mês e milhares de terminais para uso dos consumidores comuns, que em breve poderão utilizá-los para se conectar à rede. Por enquanto, está em andamento o beta privado, mas assim que este foir encerrado a empresa dará início aos beta públicos.

Em agosto, usuários que tiveram acesso aos primeiros testes compartilharam algumas primeiras impressões da conexão Starlink, divulgando anonimamente os resultados de seus testes. Na época, as velocidades de download variavam entre 11 Mbps a 60 Mbps, de acordo com medições realizadas com a ferramenta speedtest.net, da Ookla. Para upload, as velocidades eram de 5 Mbps a 18 Mbps, enquanto a latência variava entre 20 ms e 94 ms.

Já no início de setembro, as informações oficiais da SpaceX mostram um progresso bastante significativo, com latência super baixa e velocidades de download superiores a 100 Mbps. Naquela ocasião, a rede estava próxima das 800 unidades necessárias para fornecer “recursos operacionais significativos”, de acordo com Elon Musk.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: